13:47 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Cidade do Rock, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro
    © Alexandre Macieira/ Riotur

    Festivais de música aquecem economia do Brasil

    Brasil
    URL curta
    0 30

    O Ministério do Turismo acredita que a realização de festivais internacionais de música, como o Rock in Rio, vai ajudar a reaquecer a economia brasileira. De acordo com a Secretaria Municipal de Turismo, 46% do público desta edição são de fora do Rio de Janeiro, vindos principalmente dos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Brasília e Paraná.

    O Rock in Rio, que celebra 30 anos de história e começou no final de semana, está com ingressos esgotados e deve atrair 85 mil pessoas por dia até o domingo, 27 de setembro. Na edição de 2013, o Rock in Rio atraiu um público de 595 mil pessoas, com média de ocupação nos hotéis de 90%, gerando um impacto de mais de R$ 1 bilhão na economia do Estado do Rio de Janeiro durante o festival.

    A cada ano o Brasil recebe mais festivais de música. De acordo com pesquisa da consultoria PricewaterhouseCoopers (PwC), o país já é o segundo maior mercado do ramo na América Latina, perdendo só para o México. De 2010 a 2014, a receita deste segmento aumento de US$ 165 milhões para US$ 205 milhões, o que representa um crescimento de 24,2%.

    De acordo com o diretor do Departamento de Pesquisa e Estudos do Ministério do Turismo, José Francisco Lopes, o turista que vem para assistir aos shows aproveita para se deslocar na cidade, visitando pontos turísticos, museus e praias, movimentando a economia do turismo local.

    “Esse turismo movimenta um número muito grande”, diz José Francisco Lopes. “Uma parcela ponderável acaba virando também um turista de outros espectros, e isso é muito favorável, porque ele aproveita e conhece a cidade e talvez até outras cidades próximas que têm atrativos turísticos.”

    De acordo com levantamento da ABIH/RJ –  Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro, as médias de taxa de ocupação durante o Rock in Rio registraram para o último fim de semana 67,71% de quartos ocupados no Rio de Janeiro, e para o período de 24 a 27 de setembro a previsão de ocupação é de 55,79% – e este número ainda pode crescer.

    Para o segundo semestre de 2015 já existem mais festivais de música programados. Em outubro, em São Paulo acontecerá o Popload Festival, e em novembro será a vez do Festival Sonar, de música eletrônica.

    No final do ano, Belo Horizonte e outras capitais também vão receber o show da banda americana de rock alternativo, Pearl Jam.

    Dólar norte-americano
    © Sputnik/ Vladimir Sergeyev
    Conforme levantamento feito pela Associação Brasileira de Empresas de Eventos, em 2014 o Brasil sediou 600 mil acontecimentos de todos os tipos. E o país já é historicamente um dos que mais recebem eventos internacionais no mundo.

    Outro festival de música que impressionou este ano e que trouxe bons rendimentos para a economia foi o Lollapalooza Brasil. Pesquisa realizada pelo Observatório de Turismo e Eventos da Cidade de São Paulo apontou que mais da metade do público do festival este ano foi de turistas. Os visitantes foram responsáveis por movimentar a economia em mais de R$ 93 milhões referentes a gastos como hospedagem e alimentação.

    Mais:

    Crimeia recebe um dos maiores festivais de jazz da Rússia
    Dois filmes brasileiros são premiados no Festival de Veneza
    OCDE: economia brasileira sofrerá retração de 2,8% em 2015
    Tags:
    festival de música, música, economia, cultura, Rock in Rio, José Francisco Lopes, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik