18:37 21 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Dilma Rousseff durante cerimônia de entrega de unidades habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida, em 10 de agosto de 2015

    Governo Dilma garante manutenção dos programas sociais

    Roberto Stuckert Filho/ PR
    Brasil
    URL curta
    116552

    A reunião de Coordenação Política desta terça-feira (8) entre a Presidenta Dilma Rousseff e alguns ministros teve como foco os esforços do Governo para tentar equilibrar o Orçamento de 2016, diante do deficit de R$ 30,5 bilhões. O Ministro Ricardo Berzoini garantiu que os programas sociais serão preservados.

    O encontro dos membros da Coordenação Política foi realizado após a Presidenta Dilma ter feito, na véspera, por ocasião do feriado da Independência, um pronunciamento pelas redes sociais e emissoras estatais, dizendo ser preciso aplicar remédios amargos para combater a crise, sendo a sua declaração interpretada por muitos como uma revelação de que o Governo faria cortes também nos programas sociais.

    O ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, que conversou com a imprensa após o encontro desta terça-feira, garantiu que os programas sociais estão mantidos:

    “Sobre a questão dos programas sociais, se nós olharmos o que está proposto para o orçamento de 2016 vamos verificar que programas importantes como o Bolsa Família, os programas de transferência de renda em geral, a Previdência, enfim, outros programas estão absolutamente preservados. Nós acreditamos que na parte de investimento será importante olharmos de acordo com a arrecadação, e com o que está programado de investimento. Programas na área de investimentos físicos, que envolvem educação, saúde, habitação, e que são programas que evidentemente não podem ser feitos sem o alinhamento total com a programação orçamentária”.

    Em relação à possibilidade de aumento de impostos, o ministro das Comunicações disse que o Governo não descarta a medida, e que o assunto continua sendo analisado.

    Durante a coletiva, Ricardo Berzoini também afirmou que a abertura de inquérito na Operação Lava Jato para investigar os ministros da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e da Comunicação Social, Edinho Silva, não vai comprometer a confiança da Presidenta Dilma Rousseff em relação aos dois ministros, que participaram normalmente da reunião da Coordenação Política.

    “São pessoas com uma postura de confiança, pelo seu compromisso, pelo seu comportamento, e não há nenhuma razão, somente pela abertura de investigação, para haver qualquer abalo na confiança da presidente nos ministros que são companheiros de Ministério”, disse Berzoini.

    No sábado (5), o Supremo Tribunal Federal autorizou o Ministério Público Federal a apurar a denúncia feita pelo dono da construtora UTC, Ricardo Pessoa, de que teria repassado dinheiro desviado da Petrobras para a campanha eleitoral de Aloizio Mercadante, em 2010, e também para a campanha à reeleição da Presidenta Dilma Rousseff, da qual Edinho Silva foi tesoureiro, em 2014.

    De acordo com o ministro das Comunicações, o inquérito da Lava Jato não foi discutido na reunião desta terça-feira (8).

    Na segunda-feira (7), o Ministro Edinho Silva falou com a imprensa sobre as investigações das contas da campanha eleitoral da Presidenta Dilma Rousseff. Edinho disse ser favorável à investigação, para que se tirem as dúvidas e se apure a verdade:

    “Eu encaro com muita tranquilidade. A tranquilidade de quem cumpriu uma tarefa difícil. Uma tarefa num momento difícil da vida política brasileira. Quando eu cheguei como coordenador financeiro da campanha, nós já tínhamos uma investigação em andamento, e eu fiz exatamente aquilo, seguindo as orientações da Presidenta Dilma, ou seja, eu fiz diálogo com o empresariado brasileiro seguindo a legislação, os princípios éticos, os princípios morais. Portanto, eu só posso ser favorável a um processo de investigação que tire dúvidas, que possa averiguar de fato o que é verdade, o que é especulação, o que é mentira, o que é disputa política. Eu encaro com muita tranquilidade, e tenho plena confiança de que todas as dúvidas serão esclarecidas e vai prevalecer a verdade. A verdade é um processo de arrecadação que ocorreu com ética, com critérios morais, seguindo a legislação, e por esse motivo as contas da Presidenta Dilma foram aprovadas por unanimidade pelo Tribunal Superior Eleitoral”.

    O ministro da Comunicação Social afirmou ainda que vai esperar o fim da investigação para dizer se permanece ou não no Governo.

    Aloizio Mercadante também disse estar à disposição para prestar esclarecimentos. Mercadante confirmou o recebimento de R$ 500 mil em doações de Ricardo Pessoa, mas que o valor foi comprovado através de recibo e na prestação de contas à Justiça Eleitoral.

    Ainda na segunda-feira, o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, também comentou a declaração divulgada no domingo (6) pela assessoria do vice-presidente da República, Michel Temer, dizendo que Temer sabe até onde ir e que age de acordo com os limites do seu cargo, esforçando-se para melhorar a condição de vida de todos os brasileiros.

    Na semana passada, uma declaração de Michel Temer causou mal-estar no Governo depois de o vice-presidente dizer que, se a Presidenta Dilma Rousseff mantiver os atuais índices de popularidade, será difícil que ela resista a mais três anos e meio de Governo.

    Após o desfile de 7 de setembro, o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, falou sobre a atuação de Michel Temer, que permanece em apoio à Presidenta Dilma:

    “O Vice-Presidente Temer soltou uma nota muito firme, muito explícita, na qual mostra a sua postura em relação ao Governo e à Presidenta Dilma e o respeito que ele tem à institucionalidade do país. Portanto, é algo absolutamente correto, enquanto a pessoa que tem tido ao longo de todos esses anos uma postura de compromisso, lealdade e diálogo com o conjunto das forças políticas que integram o Governo”.

    A nota da assessoria da Vice-Presidência da República informa ainda que Michel Temer trabalha junto à Presidenta Dilma Rousseff para que o Brasil chegue a 2018 melhor do que está hoje, e que agora é um momento de trabalho e união.

    Tags:
    programas sociais, Operação Lava Jato, Independência, UTC, Supremo Tribunal Federal, Ministério Público Federal, Petrobras, Ricardo Berzoini, Edinho Silva, Aloizio Mercadante, Dilma Rousseff, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik