06:48 08 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 92
    Nos siga no

    O valor bruto da produção (VBP) agropecuária de 2015 somou R$ 469,7 bilhões no acumulado de janeiro a julho, com aumento de 0,63% em relação aos R$ 466,7 bilhões do mesmo período do ano passado, atingindo o valor mais alto da série histórica iniciada em 1989.

    Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (13) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. As lavouras representam R$ 300,9 bilhões e a pecuária, R$ 168,8 bilhões. As culturas agrícolas tiveram redução de 0,12%, enquanto a pecuária aumentou 2%, disse o coordenador-geral de Estudos e Análises da Secretaria de Política Agrícola (SPA) do ministério, José Garcia Gasques.

    Segundo ele, uma das características deste ano é que a maior parte dos produtos analisados tem apresentado preços menores que em 2014. Um ponto relevante de 2015 é o aumento das safras de milho, soja, trigo e cana-de-açúcar. "Os preços mais baixos desses produtos têm o efeito compensado pelo aumento da produção, o que  resulta em acréscimo do valor da produção", disse Gasques.

    Entre os produtos com aumento no VBP estão cebola (122,42%), mamona (97,57%), pimenta-do-reino (52,10%) e trigo em grão (7,18%). Os que tiveram maior redução foram maçã (-21,8), uva (-18,8 %), tomate (-15,9 %), batata inglesa (-11,0 %) e mandioca (-6,8 %).

    Na pecuária, tiveram melhor desempenho carne bovina (9,50%), ovos (2,26%) e carne suína (1,01%). O leite e a carne de frango têm apresentado variação negativa do VBP neste ano. O ministério não revelou os percentuais.

    As estimativas regionais indicam que a liderança do VBP continua sendo do Sul (R$ 135,9 bilhões), seguido pelo Centro-Oeste (R$ 125,7 bilhões), Sudeste (R$119,8 bilhões), Nordeste (R$ 47,9 bilhões) e Norte (R$ 27,8 bilhões), informou Agência Brasil.

    Tags:
    agropecuária, agricultura, VBP, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar