18:28 23 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Taxistas do Rio protestam contra o aplicativo Uber

    Depois da greve dos táxis, Prefeitura do Rio vai recorrer à Justiça contra o Uber

    © Tânia Regô/ Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    136831

    Depois dos protestos de taxistas em várias cidades do mundo e em capitais brasileiras como São Paulo e Brasília, nesta sexta-feira (24) foi a vez dos profissionais do Rio de Janeiro realizarem uma grande manifestação contra o aplicativo Uber e também contra táxis clandestinos que trafegam no Estado.

    Segundo a Prefeitura do Rio, cerca de 1,5 mil profissionais participaram do protesto, mas para a categoria foram pelo menos 3 mil. O protesto dos taxistas durou 6 horas.

    Logo nas primeiras horas da manhã, os taxistas partiram em comboio de diversos pontos da cidade, alguns vindos até de outros Estados, como São Paulo e Belo Horizonte. Eles se concentraram no Aterro do Flamengo, nas Zonas Sul e Centro cariocas, mas durante o trajeto interditaram várias vias, dando um nó no trânsito e deixando a pé muitos usuários dos táxis. No Aeroporto Santos Dumont, no Centro, longas filas de passageiros se formaram.

    De acordo com o presidente do Conselho Regional de Taxistas, Marcos Bezerra, os profissionais de táxis não são contra o uso da tecnologia no atendimento ao público, mas querem proibir o aplicativo Uber, pois se trata de prática ilegal do serviço de táxi.

    “Nós não somos contrários, de forma alguma, à modernidade. Tanto que hoje nós temos veículos modernos que trabalham com aplicativo regulamentado. Nós somos a favor da tecnologia, mas que ela seja feita dentro do carro regulamentado, dentro da categoria. Quem tem que prestar serviço de taxista é taxista.”

    Durante a manifestação, a empresa Uber respondeu ao protesto dos taxistas informando em nota que seus passageiros teriam direito a duas viagens de até R$ 50, entre 7h e 19h, sem pagar nada, pois se sabia que o dia ia ser problemático. "Sabemos que hoje será um dia complicado para a locomoção, e para não deixar os cariocas sem opção, hoje, todos poderão utilizar o Uber para qualquer lugar da cidade #orionãopara", divulgou o Uber.

    A Prefeitura do Rio apoia os taxistas, e o secretário Municipal de Transportes, Rafael Picciani, disse à imprensa que não vai regulamentar o serviço do Uber, e nem de nenhum outro aplicativo do gênero, e que vai entrar na Justiça contra a empresa. “Essa é uma manifestação que vai para além de combater a pirataria, ela é a favor dos taxistas. É importante a Prefeitura entender não só aquilo que vem concorrendo ilegalmente com o taxista, que nós estamos tomando as providências necessárias, levando à Justiça, já que o Ministério Público entendeu que não era só prerrogativa apurar essa questão. Mas nós entendemos que uma empresa que tem registro em tecnologia e se financia através do transporte de passageiros é ilegal, já que a prerrogativa de regulamentar o serviço de transporte de passageiros é do município. Então, nós estamos tomando as providências no aspecto jurídico de combate a esse aplicativo e essas modalidades que nós julgamos ilegais, e ouvindo a população e os taxistas no que nós podemos oferecer ao taxista de melhoras.”

    Além de combate ao Uber, o Secretário Picciani prometeu ainda para a categoria investimentos tecnológicos e de qualificação dos taxistas para melhorar o atendimento para a população, já que os usuários estão sinalizando que recorrem à concorrência por ela oferecer mais qualidade de serviço.

    “A Prefeitura está trabalhando no desenvolvimento de uma plataforma tecnológica que dê aos usuários e aos taxistas essa ligação, já que a tecnologia hoje faz parte da concorrência, e é natural que a gente dê esse suporte aos taxistas, como identificar os pontos onde os profissionais precisam se requalificar, se reciclar, onde a gente precisa desburocratizar e diminuir os custos. Hoje o taxista leva de 25 a 30 dias do ano para poder regularizar a sua situação, são 25 a 30 dias a menos de faturamento para esse profissional, e é isso que nós não queremos.”

    De acordo com o Rafael Picciani, foram concedidas no Rio 33 mil autonomias a motoristas para trabalhar com táxis.

    O Governo Estadual do Rio também é contra o aplicativo Uber. O secretário Estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório, determinou que o Detro – Departamento de Transportes Rodoviários do Rio de Janeiro multe os motoristas do Uber. "Determinei que o Detro verifique se os veículos particulares estão fazendo transporte de passageiros. Se estiverem, serão autuados", disse Osório.

    Já a Comissão de Combate à Pirataria da Assembleia Legislativa do Rio informou que vai colocar em votação na primeira semana de agosto um projeto de lei que prevê a proibição dos aplicativos de transporte de passageiros, como o Uber e o Resolve Aí. Segundo o presidente da Comissão, Deputado Dionísio Lins (PP), o projeto já conta com o apoio de 45 assinaturas de parlamentares contra os aplicativos.

    Tags:
    taxistas, protesto, Uber, Prefeitura do Rio de Janeiro, Marcos Bezerra, Brasil, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik