04:59 18 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    José Mujica em 2009

    Senado brasileiro convoca ex-presidente do Uruguai para “explicações”

    © AFP 2017/ EVARISTO SA
    Brasil
    URL curta
    0 711

    Livro de jornalistas uruguaios volta a preocupar oposição brasileira.

    Na quarta-feira (3 de junho), o senador brasileiro Ronaldo Caiado declarou que iria fazer um convite ao ex-presidente do Uruguai, José Mujica, para que "explique" uma frase que supostamente teria dito sobre o seu colega brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva.

    A frase foi recolhida no livro dos jornalistas uruguaios Andrés Danza e Ernesto Tulbovitz "Uma Ovelha Negra no Poder", biografia do ex-presidente do Uruguai. Segundo eles, uma vez Lula disse a Mujica que estava envolvido em "corrupção, pressões e chantagens", porque "era impossível" dirigir o Brasil de outro modo.

    A frase é associada ao escândalo do mensalão.

    No entanto, o próprio José Mujica já desmentiu o caso.

    "Aparece o amigo Lula ali [no livro] conversando comigo sobre o mensalão, mas nunca falei com um brasileiro sobre o mensalão, por questões minhas", afirma, citado em maio pelo jornal Zero Hora.

    Mas a bancada da oposição brasileira prefere a versão dos jornalistas:

    "Lula dizia que não conhecia o problema, e esta é a primeira vez que há uma testemunha de que, sim, sabia", disse o senador Caiado, citado pelo jornal uruguaio El País.

    Caiado afirma que o convite para Mujica e ao ministro da Economia, Danilo Astori, será enviado "rapidamente".

    Contudo, o ex-presidente do Uruguai não é obrigado a atendê-lo. Várias fontes já afirmaram que José Mujica já teria dito que não iria ao Brasil por este motivo.

    A Sputnik Brasil já falou sobre o livro de Danza e Tulbovitz. Naquela altura, depois do lançamento, o assunto do Mercosul ocupou as manchetes. Em um trecho da biografia presidencial, os jornalistas contam uma ocasião em que Dilma e Mujica teriam organizado e realizado um esquema de excluir o Paraguai do Mercosul, pouco antes da adesão da Venezuela.

    Na cúpula de junho, três integrantes do Mercosul, Brasil, Argentina e Uruguai, decidiram suspender o Paraguai devido ao impeachment do presidente Lugo, e imediatamente depois a Venezuela foi incluída na organização. Anteriormente o ingresso da Venezuela fora bloqueado pelo Paraguai. A suspensão do país perdeu a validade depois de Horacio Cartes assumir a presidência do Paraguai, em agosto de 2013.

    Mais:

    Senado aprova Banco do BRICS e Arranjo Contingente de Reservas do bloco
    Manifestantes protocolam pedido de impeachment de Dilma
    Participação brasileira no Banco e no Fundo dos BRICS só depende do Senado
    Pedido de impeachment contra governador do Paraná é protocolado
    Tags:
    jornalistas, corrupção, Mensalão, Senado Federal, Lula, José Mujica, Uruguai, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik