00:31 29 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 152
    Nos siga no

    Após a visita a Brasília, no início da semana, do primeiro-ministro da China, Li Keqiang, com quem assinou 35 acordos de cooperação entre Brasil e China num total de US$ 53 bilhões, a Presidenta Dilma Rousseff recebeu nesta quinta-feira (21), no Palácio do Planalto, o recém-empossado presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez.

    O encontro é a primeira visita de Estado deste mandato de Vázquez. O presidente uruguaio recebeu há menos de três meses a faixa de seu antecessor, José Mujica. A Presidenta Dilma Rousseff esteve presente à cerimônia de posse de Tabaré Vázquez, em Montevidéu.

    Os presidentes do Brasil e do Uruguai discutiram o avanço dos principais projetos de integração bilateral e de temas regionais e multilaterais, com ênfase no Mercosul e no processo de integração regional. 

    Em julho de 2012, Brasil e Uruguai estabeleceram um novo modelo para relações bilaterais, baseado numa integração mais abrangente, com o objetivo de proporcionar benefícios concretos aos dois países. A decisão culminou na criação do Grupo de Alto Nível Brasil-Uruguai, que tem impulsionado importantes projetos bilaterais nas áreas de facilitação do comércio, integração produtiva, infraestrutura de transportes, cooperação fronteiriça e integração energética.

    Durante o encontro, os dois presidentes tiveram uma reunião privada, na qual, segundo a presidenta, fizeram um balanço do Grupo Brasil-Uruguai. Dilma Rousseff explicou, depois, que conversaram sobre projetos de cooperação energética, tanto de linhas de transmissão de energia entre os dois países quanto de geração de energia eólica pelo Uruguai, e falaram da parceria entre os dois países no intercâmbio de energia. A presidenta brasileira citou também as obras de infraestrutura e de construção de pontes para facilitar a integração entre os dois países.

    Em declaração à imprensa, Dilma afirmou ter certeza de que Uruguai e Brasil vão continuar parceiros inseparáveis, empenhados na consolidação de um espaço de paz, cooperação, democracia e crescimento com justiça social no continente e também no mundo.

    Dilma Rousseff explicou na entrevista coletiva que ela e o presidente do Uruguai fizeram também um balanço das relações entre Brasil e Uruguai, ressaltando a colaboração entre os dois países no setor energético, e disse que a integração energética entre Brasil e Uruguai vai servir de exemplo na América do Sul. “Gostaria de destacar”, disse a presidenta, “que no campo da integração energética concluímos em abril a linha de transmissão, de 411 km, São Carlos–Candiota, que foi financiada pelo Uruguai e pelo Focen – Fundo de Convergência Estrutural do Mercosul. Esse projeto de interconexão soma-se ao Parque Eólico de Arilleros, que produz 65MW, de cuja inauguração tive a honra de participar em fevereiro. O Parque constitui iniciativa pioneira da cooperação entre a empresa uruguaia UTE e a Eletrobrás na área de geração de energia renovável.”

    A Presidenta Dilma destacou ainda que uma das prioridades dos países membros do Mercosul é o aperfeiçoamento do bloco, superando as dificuldades conjunturais e diversificando as parcerias comerciais. Para Dilma, uma das medidas é a renovação do Focen, fundo destinado às obras de infraestrutura do Mercosul. A presidenta ainda ressaltou a importância de fechar acordo com a União Europeia. “Vamos continuar aperfeiçoando o Mercosul, e eu gostaria de destacar o acordo com a União Europeia, como sendo agora um dos passos estratégicos na área de comércio internacional da região. Fazer o acordo entre o Mercosul e a União Europeia este ano é prioridade da agenda externa do bloco.”

    Em seu discurso, o presidente do Uruguai ressaltou a importância de reforçar os laços comerciais do país com o Brasil, e afirmou que o Mercosul ainda não atingiu todo o potencial a que o bloco pode chegar, e que ele precisa ser “reanimado e fortalecido”.

    O Brasil é o principal destino das exportações uruguaias, e o segundo maior fornecedor de produtos para aquele país. Em 2014, o intercâmbio bilateral alcançou US$ 4,9 bilhões.

    Mais:

    Ex-presos de Guantánamo protestam contra EUA no Uruguai
    Israel adverte Uruguai sobre ameaça islamista
    Fitch manteve o rating do Uruguai em BBB-
    Tags:
    comércio bilateral, integração bilateral, Eletrobrás, Focen, Mercosul, Dilma Rousseff, José Mujica, Tabaré Vázquez, Montevidéu, Brasília, Uruguai, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar