07:42 12 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 01
    Nos siga no

    A greve dos trabalhadores da construção pesada, que afetou as principais obras olímpicas em andamento no Rio de Janeiro, chega ao fim.

    Na tarde desta quarta-feira, (20), em audiência de conciliação entre representantes dos trabalhadores e das empresas, foi firmado um acordo para que as obras voltem à normalidade a partir da quinta-feira (21).

    Os trabalhadores receberão um reajuste de 8% do piso salarial, o que beneficiará quase 90% da categoria. Quem tem salário acima do piso e ganha até R$ 10 mil receberá 5%, enquanto que os salários acima de  R$ 10 mil terão reajuste decidido pelas empresas. A cesta básica passou de R$ 310 para R$ 340.

    Outros dois pontos do acordo foram a compensação de 22 horas de serviço pelo tempo parado em até 60 dias e a não retaliação aos operários que aderiram à greve. O diretor do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada, Marcelo Cruz, disse que o acordo foi razoável e que eles conquistaram 70% das reivindicações.

    A greve começou na segunda-feira (18) de manhã. Em três dias, de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada (Sitraicp), as obras afetadas foram as do Parque Olímpico de Deodoro, do Engenhão, do Porto, da Linha 4 do Metrô, da TransBrasil e do Aeroporto do Galeão.

    Mais:

    Como greve na construção afetará preparativos do Rio 2016?
    Tags:
    greve, Olimpíada, Rio 2016, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar