16:34 20 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva

    Lula recruta colaboradores e estuda possível candidatura

    © AP Photo / Andre Penner
    Brasil
    URL curta
    0 89

    Apesar das alegações de que não pensa em retornar à presidência no atual cenário, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vem articulando com a sua equipe uma série de reuniões com o objetivo de analisar suas possibilidades de candidatura ao cargo em 2018.

    Segundo a imprensa de São Paulo, o ex-chefe de Estado tem organizado na capital paulista, desde o ano passado, encontros com políticos, autoridades, especialistas e sindicalistas para discutir uma série de detalhes sobre a situação do país. Entre frequentadores assíduos e eventuais do chamado "grupo para o futuro", estariam os prefeitos Fernando Haddad (São Paulo) e Luiz Marinho (São Bernardo), os secretários municipais Alexandre Padilha (Relações Governamentais) e Arthur Henrique (Trabalho), o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, o presidente do PT, Rui Falcão, o presidente do Grupo Coteminas, Josué Gomes, e os presidentes do sindicato dos Metalúrgicos do ABC e da CUT, Rafael Marques e Vagner Freitas. 

    As reuniões aconteceriam na sede do Instituto Lula, no bairro do Ipiranga, semanalmente, tendo como principais temas desenvolvimento social, estabilidade, direitos humanos e política externa. Nesses encontros, de acordo com os envolvidos, Lula ouve conselhos de seus colaboradores e muitas críticas às articulações do atual governo. 

    A preocupação com o cenário atual e com o governo de Dilma Rousseff, aliás, foi admitida pelo próprio ex-presidente, durante sua passagem por Brasília na última semana. Em conversa com colegas, Lula disse não estar atravessando uma boa fase e demonstrou pouca esperança na recuperação da economia brasileira. Ele teria inclusive criticado algumas decisões de Dilma, segundo órgãos de imprensa, e declarado que seu projeto político estaria "esfarelando". 

    Se a insatisfação de Lula com o atual cenário político e econômico e com os rumos do governo da sua sucessora servirá de estímulo para fazê-lo considerar seriamente a possibilidade de um terceiro mandato, só o tempo e as reuniões do "grupo para o futuro" poderão dizer. Mas o fato é que jornalistas e pessoas próximas ao ex-presidente afirmam que ele parece cada vez menos empolgado e otimista. "Sem brilho no olhar", nas palavras de um amigo citado pela Folha de S.Paulo. 

    Mais:

    Dilma defende diálogo com trabalhadores em discurso pelo Primeiro de Maio
    Filha de Lula diz que pai pode ser candidato em 2018
    Dilma Rousseff e Lula se encontraram em Brasília
    Dilma amplia agenda de viagens para defender o governo a conselho de Lula
    Tags:
    presidência, candidatura, Grupo Coteminas, CUT, Folha de S.Paulo, Instituto Lula, Vagner Freitas, Rafael Marques, Josué Gomes, Rui Falcão, Antonio Palocci, Arthur Henrique, Alexandre Padilha, Fernando Haddad, Luiz Marinho, Dilma Rousseff, Luiz Inácio Lula da Silva, São Bernardo, São Paulo, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar