18:15 22 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Manifestante com bandeira do Brasil na sede da Petrobras

    Investidores europeus decidem processar Petrobras

    © AFP 2017/ YASUYOSHI CHIBA
    Brasil
    URL curta
    0 541414

    Um dos maiores fundos de pensão da Europa anuncia que vai abrir um processo contra a Petrobras.

    Assim como ocorre já nos EUA com investidores, os europeus alegam que a empresa brasileira não revelou em seus balanços a real situação da estatal, não provou que seus controles para evitar a corrupção funcionavam e sobrevalorizou seus ativos.

    A ação será aberta pela AP1, o maior fundo de investidores da Suécia. As informações são do jornal Financial Times e confirmadas pela empresa.

    Depois da eclosão do escândalo de corrupção envolvendo altos funcionários da Petrobras, uma onda de processos foi iniciada nos EUA. Agora, o mesmo pode ocorrer do outro lado do oceano. O AP 1, fundo de pensão de US$ 30 bilhões, mantinha até dezembro 3,7 milhões em ativos da Petrobras. Mas se investidores nos EUA se uniram para lançar um processo nos tribunais contra a empresa, os suecos anunciam que vão abrir um caso separado.

    "Temos a intenção de ter nosso próprio processo contra a empresa", declarou um porta-voz do fundo ao FT. Em 2014, as ações da Petrobras perderam 43%.

    O segundo maior fundo sueco, o AP3, também examina a possibilidade de abrir um caso contra a empresa brasileira. "Ainda não decidimos nos unir a uma ação de classe contra a Petrobras. Mas vamos nos assegurar que vamos receber nossa eventual parcela em qualquer tipo de acordo", declarou o fundo ao jornal britânico.

    De acordo com o FT, "dezenas de fundos" abriram processos contra a Petrobras desde dezembro. Em fevereiro, eles foram consolidados em uma única ação, liderada pelo fundo de pensão do Reino Unido, a USS. Só ela teria perdido US$ 84 milhões com a turbulência na Petrobras.

    No processo conjunto ainda estão a Union Investment, da Alemanha e o fundo de pensão do estado do Havaí. O maior fundo de pensão da Holanda, o ABP, também se uniu ao caso, assim como a PGGM.

    fonte: Estadão Conteúdo

    Mais:

    Mantega renuncia à presidência do Conselho de Administração da Petrobras
    Haroldo Lima: ataque à Petrobras é um ataque ao sistema de partilha de produção no pré-sal
    Petrobras: ainda não há data definida para divulgação dos balanços
    Tags:
    ação, investidores, economia, Petrobras, Suécia, EUA, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik