09:08 22 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    291
    Nos siga no

    Conforme um comunicado da Casa Branca, o presidente dos EUA, Joe Biden, e outros líderes do G20 concordaram, durante uma reunião virtual, em prestar ajuda humanitária diretamente ao povo afegão e não através do governo do Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em outros países).

    Entre os líderes participantes da reunião on-line estavam o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, e representantes dos presidentes da China e da Rússia.

    "Os líderes também reafirmaram seu compromisso coletivo em prestar assistência humanitária diretamente ao povo afegão através de organizações internacionais independentes, e de promover os direitos humanos fundamentais para todos os afegãos, incluindo mulheres, meninas e membros de grupos minoritários", declarou a Casa Branca.

    O presidente turco disse aos líderes do G20, em um discurso transmitido pela televisão nacional, que o Talibã "ainda não agiu como esperado".

    O premiê italiano, Mario Draghi, contudo, sublinhou que, mais cedo ou mais tarde, os contatos com o Talibã são inevitáveis. A crise humanitária no Afeganistão terá de ser resolvida, mas isso não implica o reconhecimento do grupo, disse Draghi.

    O primeiro-ministro da Itália reconhece que a participação da China e da Rússia no G20 é "absolutamente essencial".

    O presidente dos EUA Biden e seus homólogos discutiram os esforços contra a ameaça terrorista, bem como a evacuação de estrangeiros e afegãos do país da Ásia Central, informou a Casa Branca em um comunicado de imprensa.

    "O Presidente Biden reuniu-se hoje virtualmente com os líderes do G20 para discutir o Afeganistão. Os líderes discutiram a necessidade crítica de manter o foco em nossos esforços duradouros de combate ao terrorismo, inclusive contra as ameaças do Estado Islâmico-Khorasan [EI-K] [grupo terrorista proibido na Rússia e em outros países], e de garantir uma passagem segura para aqueles estrangeiros e parceiros afegãos com documentação que buscam sair do Afeganistão", indica o comunicado.

    Os participantes da cúpula do G20 mandataram a ONU para coordenar diretamente as ações humanitárias no Afeganistão.

    Montante e objetivos da ajuda humanitária

    A União Europeia deu início ao apoio, anunciando um pacote de ajuda humanitária no valor de US$ 1,2 bilhões (aproximadamente R$ 6,64 bilhões).

    A reunião virtual do G20 nesta terça-feira (12) ocorre após as primeiras conversações entre as delegações do governo talibã do Afeganistão, da UE e dos EUA, no Catar.

    A ajuda humanitária esteve bloqueada desde que o grupo insurgente tomou o controle de Cabul, em meados de agosto deste ano, após quase 20 anos de guerra contra as forças lideradas por Washington.

    O encontro de líderes do G20 também teria como objetivo abordar questões de segurança, de modo a "impedir que o Afeganistão se torne novamente um foco de terrorismo internacional".

    O Talibã, cuja legitimidade governamental ainda não foi reconhecida internacionalmente, está enfrentando a ameaça crescente do Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia e em outros países), nomeadamente uma de suas ramificações, o EI-K, que conduziu vários ataques mortais no país.

    Mais:

    Militantes do Daesh derrotados em confronto armado em Cabul, diz fonte do Talibã
    Forças iraquianas capturam um dos principais líderes do Daesh, informa premiê do país
    Em negociações com EUA em Doha, Talibã exige descongelamento de ativos do Afeganistão no estrangeiro
    Tags:
    G20, líderes mundiais, Afeganistão, Talibã, ajuda humanitária, organizações internacionais
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar