00:59 23 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    192
    Nos siga no

    Ashraf Ghani, ex-presidente afegão, rejeitou veementemente as acusações de ter fugido para os Emirados Árabes Unidos com uma grande quantidade de dinheiro.

    John Sopko, inspetor-geral especial dos EUA para a Reconstrução do Afeganistão, disse que seu gabinete vai examinar as alegações de que o ex-presidente afegão Ashraf Ghani levou milhões de dólares com ele quando escapou do país em meados de agosto.

    "Ainda não provamos isso. Estamos investigando isso. Na verdade, o Comitê de Supervisão e Reforma Governamental nos pediu para investigarmos isso", disse Sopko a um subcomitê da Câmara dos Representantes norte-americana, citado na quarta-feira (6) pela agência britânica Reuters.

    Suposto saque dos contribuintes dos EUA

    No final de agosto, republicanos do Comitê de Supervisão da Câmara dos EUA pediram ao procurador-geral Merrick Garland que investigasse as notícias da mídia de que Ghani fugiu com US$ 169 milhões (R$ 892 milhões) em dinheiro dos contribuintes norte-americanos.

    James Comer e Glenn Grothman escreveram a Garland e a Antony Blinken, secretário de Estado norte-americano, exortando a administração de Joe Biden a "fazer tudo o que estiver ao seu alcance para confiscar quaisquer fundos obtidos ilicitamente que tenham sido desviados de forma corrupta pelo presidente Ghani".

    Os dois políticos sublinharam que, embora não tenha ficado claro como ele obteve uma soma tão "enorme" de dinheiro, "a quantia e a natureza de sua fuga do Afeganistão levanta o espectro de que o presidente Ghani desviou ilegalmente e de forma corrupta esses fundos da assistência americana destinada ao bem-estar e à defesa do povo afegão".

    Em 15 de agosto, o Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) chegou às portas de Cabul e posteriormente tomou o controle do país, levando Ghani a fugir para os Emirados Árabes Unidos (EAU). Mais tarde, ele alegou que o fez para evitar derramamento de sangue, e declarou que pretendia voltar ao Afeganistão em um futuro próximo para proporcionar "justiça" a todos os cidadãos afegãos.

    Ele também rejeitou as "mentiras" de ter escapado com os US$ 169 milhões, afirmando que estava com tanta pressa que foi forçado a deixar para trás alguns documentos confidenciais.

    Mais:

    Talibã teria encontrado US$ 6 milhões e ouro na casa do 'presidente interino' afegão Saleh (VÍDEO)
    Ex-presidente Ghani pede desculpa aos afegãos por não ter conseguido 'terminar de forma diferente'
    CNN: ex-presidente afegão e chefe do conselho de reconciliação estão em prisão domiciliar em Cabul
    Tags:
    Ashraf Ghani, Afeganistão, EUA, Câmara dos Representantes, Reuters, Antony Blinken, Joe Biden
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar