17:56 26 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    52119
    Nos siga no

    No sábado (2), Taipé acusou Pequim de intimidar e prejudicar a paz regional, depois que caças e bombardeiros chineses fizeram sua maior incursão na zona de identificação de defesa aérea de Taiwan.

    A incursão de sexta-feira (1º), que envolveu 38 aviões de guerra chineses, incluindo bombardeiros com capacidade nuclear H-6, gerou o protesto de Taipé.

    "A China é belicosa e prejudica a paz regional, envolvendo-se em muitos atos de intimidação", disse o premiê taiwanês Su Tseng-chang aos jornalistas.

    "É evidente que o mundo, a comunidade internacional, rejeita cada vez mais esse tipo de comportamento da China", adicionou.

    O Ministério da Defesa de Taiwan informou na sexta-feira (1º) ter acionado aviões para afastar 25 aeronaves chinesas que entraram em sua zona de identificação de defesa aérea. A missão chinesa envolveu 18 caças J-16, quatro caças Su-30, dois bombardeiros com capacidade nuclear H-6 e um avião antissubmarino.

    Ainda no mesmo dia, outros 13 aviões chineses entraram na zona de identificação de defesa aérea de Taiwan. Dez caças J-16, dois bombardeiros com capacidade nuclear H-6 e um avião de alerta e controle KJ-500 participaram da incursão.

    No total houve 38 aeronaves chinesas, sendo a maior incursão no espaço aéreo perto de Taiwan até agora, de acordo com o ministério.

    Mais:

    Caça Mirage 2000 da Força Aérea da França perde bomba durante exercícios militares
    China mostra em ação maior aeronave anfíbia do mundo AG600 Kunlong (VÍDEO)
    Bombardeiro B-52 dos EUA é escoltado por caças Su-35S após se aproximar da fronteira russa
    China prepara lançamento de novo caça de última geração baseado em porta-aviões
    Tags:
    China, Taiwan, defesa aérea, avião, aeronave, caça
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar