02:47 24 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    233
    Nos siga no

    O presidente norte-americano, Joe Biden, admitiu nesta segunda-feira (6) que vai demorar até os EUA reconhecerem o Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) como o novo governo afegão.

    O presidente norte-americano disse a uma jornalista que o reconhecimento dos talibãs como novo governo "está muito longe".

    ​Novo: o presidente Biden me disse que os EUA não reconhecem o governo do Talibã em Cabul – "Isso está muito longe", diz ele ao retornar à Casa Branca.

    A declaração breve de Biden seguiu os comentários da porta-voz do presidente, Jen Psaki, na semana passada, segundo a qual a Casa Branca "não está com pressa" em reconhecer a liderança dos islamistas.

    "Isso dependerá do comportamento [dos talibãs] e se eles cumprirem as expectativas da comunidade global", afirmou Psaki.

    O Departamento de Estado dos EUA comentou a situação da mesma forma.

    Ontem (6) de manhã, o porta-voz do Talibã, Zabihullah Mujahid, declarou o fim da guerra no Afeganistão e disse que nos próximos dias será anunciada a composição do novo governo.

    De momento, os líderes mundiais aguardam para reconhecer o governo dos talibãs no Afeganistão, afirmando que estão monitorizando o comportamento do grupo. Até agora, apenas três países reconheceram o Talibã como entidade administrativa do país: o Paquistão, a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos.

     

    Mais:

    Tropas dos EUA 'voltarão ao Afeganistão', diz senador republicano
    Ex-agente do FBI: sequestradores do 11/9 tiveram apoio de agentes sauditas dentro dos EUA
    Forças em Panjshir mudam de tática e iniciam guerrilha contra talibãs, diz Frente de Resistência
    Marinha dos EUA testa míssil SM-6 a partir de navio de superfície não tripulado (VÍDEO)
    Tags:
    EUA, Joe Biden, Afeganistão, Talibã, governo, Paquistão, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar