03:21 24 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    4211
    Nos siga no

    Mulheres afegãs tentaram realizar um protesto na capital do Afeganistão, mas teriam sido dispersas após o movimento usar gás lacrimogêneo e espancar pelo menos uma das ativistas.

    O Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) usou gás lacrimogêneo e tiros no ar para dispersar um grupo de mulheres afegãs que saíram às ruas de Cabul, Afeganistão, para exigir igualdade de direitos, informa no sábado (4) o correspondente da Sputnik.

    Os protestos foram motivados por as mulheres estarem preocupadas com suas atuais oportunidades educacionais, assim como com o emprego.

    Segundo um tweet da agência afegã TOLOnews, as mulheres tentaram fazer uma marcha em direção ao palácio presidencial de Cabul, mas foram impedidas após o Talibã usar gás lacrimogêneo.

    Um correspondente relata que apoiadores dos talibãs espancaram Rabia Sadat, uma das ativistas, em uma praça próxima ao palácio presidencial. 

    Rabia Sadat é uma das manifestantes de hoje [4] em Cabul espancada pelo Talibã.

    No início de agosto, o Talibã intensificou sua ofensiva contra as forças governamentais no Afeganistão, em meio à saída da coalizão ocidental do país. Em 15 de agosto, os militantes entraram na capital e assumiram o controle do palácio presidencial, anunciando no dia seguinte que a guerra no Afeganistão terminou, e que a forma de governo no país seria esclarecida em breve.

    Vários protestos semelhantes ocorreram no Afeganistão por medo de o movimento excluir as mulheres da vida política e socioeconômica do país. Os militantes disseram que somente as mulheres afegãs que usassem o véu islâmico teriam acesso à educação e ao trabalho.

    Mais:

    'Imagens de desespero em Cabul são vergonhosas para o Ocidente', diz presidente alemão
    Militante do BLM no Reino Unido, Sasha Johnson é baleada na cabeça
    Manifestantes protestam contra feminicídio em Londres (VÍDEO)
    Mulheres polonesas protestam em Varsóvia contra a proibição do aborto
    Tags:
    Talibã, Afeganistão, Cabul, Sputnik, Sputnik News, Twitter, TOLOnews
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar