14:27 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    4169
    Nos siga no

    Grupo terrorista Daesh reivindicou a responsabilidade pelo ataque com foguetes desta segunda-feira (30) contra o aeroporto de Cabul, informou a mídia Nasher News em seu canal no Telegram.

    "Pela graça de Deus Todo-Poderoso, os soldados do Califado atingiram o aeroporto internacional de Cabul com seis foguetes Katyusha", lê-se no comunicado.

    Na manhã desta segunda-feira, as defesas antimísseis dos EUA interceptaram cinco foguetes disparados contra o aeroporto de Cabul, segundo um oficial norte-americano, escreve a Reuters.

    Os militares norte-americanos usaram o sistema antimísseis C-RAM. Até o momento, não há informações sobre vítimas entre os militares norte-americanos. No entanto, pelo menos uma criança morreu no ataque que atingiu a área nesta segunda-feira (30), segundo as autoridades locais.

    Militares dos EUA asseguram segurança de posto de evacuação no Aeroporto Internacional Hamid Karzai, Cabul, Afeganistão, 26 de agosto de 2021
    © REUTERS / Corpo da Marinha dos EUA / Sargento Victor Mancilla / Handout
    Militares dos EUA asseguram segurança de posto de evacuação no Aeroporto Internacional Hamid Karzai, Cabul, Afeganistão, 26 de agosto de 2021

    O incidente ocorreu depois que as forças dos EUA realizaram um ataque de drone contra um veículo em Cabul no domingo (29).

    Na quinta-feira (26), ocorreram explosões perto do aeroporto de Cabul que, além de mortos civis, resultou em vítimas entre militares dos EUA e militantes do Talibã, de acordo com informações de ambos os lados.

    Mais:

    Militares dos EUA mataram civis após explosões no aeroporto de Cabul, informam testemunhas
    EUA lançam foguete em Cabul contra homem-bomba que preparava ataque terrorista, há vítimas (VÍDEO)
    Drone dos EUA mata 9 pessoas da mesma família, incluindo 6 crianças em Cabul, segundo relatos
    Tags:
    Daesh, Afeganistão, ato terrorista, grupo terrorista
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar