23:49 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    2172
    Nos siga no

    Moscou espera que as armas deixadas pelas forças dos EUA no Afeganistão não sejam usadas em uma possível guerra civil no país, disse Zamir Kabulov, representante especial do presidente russo e diretor do Segundo Departamento da Ásia da chancelaria da Rússia.

    "Espero que elas vão para os armazéns e não sejam usadas em uma nova guerra civil, que agora terminou no Afeganistão", declarou o diplomata ao canal de TV Rossiya 24, acrescentando que é necessário ter em mente o futuro "destino dessas armas".

    Kabulov afirmou também que os países da coalizão da OTAN que fizeram parte da operação no Afeganistão terão que participar da reconstrução do país ressaltando que esta é "uma questão de sua consciência".

    "Em primeiro lugar, isto diz respeito àqueles países cujos exércitos estiveram lá durante 20 anos e causaram o que nós estamos vendo. É uma questão de honra e de consciência para estes países corrigir pelo menos alguns dos erros que cometeram", disse.

    Kabulov observou que Moscou está preocupada com a situação de segurança e direitos humanos no Afeganistão, mas acredita que "nossos próprios conceitos" culturais de democracia não devem ser impostos às novas autoridades afegãs.

    Boeing C-17 Globemaster III durante evacuação no Aeroporto Internacional de Cabul, Afeganistão
    © REUTERS / Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA
    Boeing C-17 Globemaster III durante evacuação no Aeroporto Internacional de Cabul, Afeganistão
    A Rússia, por sua vez, participará de projetos destinados a restaurar a economia do Afeganistão e está pronta para começar a trabalhar imediatamente, concluiu o diplomata, acrescentando que devem ser tomadas medidas para evitar que a moeda do país se desvalorize, porque o colapso "de qualquer moeda nacional leva a consequências econômicas negativas".

    Entre 2002 e 2017 Washington forneceu às forças de segurança afegãs armamento avaliado em U$ 28 bilhões (R$ 145,6 bilhões). Agora teme-se que praticamente todo esse equipamento esteja nas mãos do Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em diversos países).

    Além disso, existem preocupações de que haja centenas de dispositivos biométricos militares abandonados em bases dos EUA que possam ajudar o grupo a localizar e a visar antigos funcionários de segurança e apoiantes do governo.

    Mais:

    Ataque aéreo dos EUA mata 2 líderes do Daesh no Afeganistão, diz Pentágono
    Comandante do EI-K disse à CNN antes dos ataques em Cabul que grupo estava 'esperando para atacar'
    Sistema de Defesa dos EUA intercepta 5 foguetes disparados no aeroporto de Cabul (VÍDEO, FOTOS)
    Tags:
    Afeganistão, OTAN, EUA, Talibã, Rússia, equipamento militar, guerra civil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar