14:20 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    3195
    Nos siga no

    A Organização Internacional de Energia Atômica (OIEA) observou que os novos dados sobre o funcionamento do reator de cinco megawatts da central nuclear de Yongbyon são "profundamente preocupantes".

    A Coreia do Norte teria reiniciado um reator nuclear que supostamente produz plutônio para a fabricação de armas atômicas, declarou a organização da ONU em seu relatório anual, publicado na sexta-feira (27) e citado pela Reuters.

    A OIEA não tem acesso ao país asiático desde que Pyonyang expulsou em 2009 seus inspetores, seguindo adiante com seu programa de armas nucleares e retomando os testes nucleares.

    O último teste nuclear ocorreu em 2017. Atualmente, a OIEA vigia a Coreia do Norte à distância, principalmente através de imagens de satélites.

    "Não houve indícios de funcionamento do reator desde o início de dezembro de 2018 até o início de julho de 2021 [...] No entanto, desde o início de julho de 2021, há indícios, incluindo a descarga d'água de refrigeração, consistentes com o funcionamento do reator", afirmaram os especialistas, referindo-se ao reator de cinco megawatts da central nuclear de Yongbyon, principal instalação nuclear militar do país, localizada a aproximadamente 100 quilômetros da capital.

    Em junho, a OIEA alertou sobre sinais de possíveis trabalhos de reprocessamento para separar o plutônio do combustível gasto do reator em Yongbyon, que poderia ser utilizado em armas nucleares.

    Míssil balístico da Coreia do Norte
    © REUTERS / KCNA
    Míssil balístico da Coreia do Norte

    Enquanto isso, o recente relatório revela que a duração dessas aparentes atividades, cinco meses (deste fevereiro até o início de julho) sugere que um lote completo de combustível gasto foi manipulado, em contraste com o tempo mais curto que é necessário para o tratamento de resíduos ou a manutenção.

    "Os novos dados sobre o funcionamento do reator de cinco megawatts e do Laboratório Radioquímico (de reprocessamento) são profundamente preocupantes", observaram os especialistas, adicionando que também havia sinais de atividades de extração e concentração em outra mina e fábrica de urânio, localizada em Pyongsan.

    Mais:

    Coreia do Norte enfrenta seca severa, relata mídia local
    'Momento crítico': Kim compara situação atual na Coreia do Norte com tempos de guerra
    Coreias do Norte e do Sul restabelecem linhas de comunicação cortadas há mais de 1 ano
    Tags:
    Coreia do Norte, reatores, reator nuclear, armas, arma nuclear
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar