07:33 16 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1150
    Nos siga no

    O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, conversou com seu homólogo norte-americano por ligação e afirmou que os EUA precisam tomar medidas concretas para ajudar o Afeganistão e orientar o Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em diversos países).

    Em um telefonema realizado hoje (29) entre o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, e seu homólogo norte-americano, Antony Blinken, Wang disse a Blinken que os EUA devem se envolver com os novos governantes do Talibã no Afeganistão e "orientá-los positivamente", segundo a Reuters.

    "Embora respeitando a soberania do Afeganistão, os EUA devem tomar medidas concretas para ajudar o país a combater o terrorismo e acabar com a violência, em vez de jogar dois pesos e duas medidas ou combater o terrorismo seletivamente", disse Wang.

    O ministro chinês também alertou que a "retirada precipitada" dos EUA pode permitir que grupos terroristas se "reagrupem e voltem mais forte", de acordo com a mídia.

    Para Wang, Washington deve trabalhar com a comunidade internacional e fornecer ajuda econômica e humanitária ao Afeganistão, assim como auxiliar o novo governo a executar funções governamentais normalmente, manter a estabilidade social e impedir a desvalorização da moeda e o aumento do custo de vida.

    A ligação teria sido feita a convite dos Estados Unidos, segundo a Reuters.

    A China não reconheceu oficialmente o Talibã como os novos governantes do Afeganistão, entretanto, Wang Yi recebeu no mês passado Mullah Baradar, chefe do gabinete político do grupo, e disse que o mundo deveria orientar e apoiar o país em sua transição para um novo governo, em vez de colocar mais pressão sobre ele.

    Mais:

    À medida que Talibã se fortalece e se aproxima de Xinjiang, China deve se manter alerta, diz jornal
    Taiwan acusa China de 'imitar' Talibã e agradece apoio diplomático dos EUA à ilha
    Raab: Reino Unido precisará de 'influência moderadora' da Rússia e China sobre Talibã
    Tags:
    China, EUA, Talibã, Afeganistão, Antony Blinken
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar