12:17 24 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    9421
    Nos siga no

    Em seu discurso em Cingapura, a vice-presidente norte-americana, Kamala Harris, reafirmou que o país se mantém do lado de seus aliados na região Ásia-Pacífico ante a ameaça da China.

    Harris criticou a China por suas alegadas incursões no mar do Sul da China, e advertiu que suas ações na região equivalem a "coerção" e "intimidação".

    "Sabemos que Pequim continua coagindo, intimidando e a fazendo reivindicações à grande maioria [dos países] do mar do Sul da China [...] As ações de Pequim continuam minando a ordem baseada em regras, e ameaçam a soberania das nações", declarou a vice-presidente dos EUA esta terça-feira (24) em Cingapura, onde falou da visão da administração Biden para o Indo-Pacífico, citada pelo The Guardian.

    De acordo com a mídia, o gigante asiático reivindica quase todo o mar, rico em recursos, pelo qual passam anualmente trilhões de dólares em comércio marítimo, não obstante as reivindicações de outros quatro países do Sudeste Asiático, incluindo Taiwan que, por sua vez, é visto por Pequim como parte do seu território. Nos últimos meses, as tensões têm aumentado entre a China e seus vizinhos.

    Destróier de mísseis guiados norte-americano USS John S.McCain, da classe Arleigh Burke, transita pelo mar do Sul da China realizando operação de rotina
    © Foto / Marinha dos EUA / Especialista em Comunicação de Massa da Primeira Classe Jeremy Graham
    Destróier de mísseis guiados norte-americano USS John S.McCain, da classe Arleigh Burke, transita pelo mar do Sul da China realizando operação de rotina

    O discurso de Harris procurou cimentar o compromisso dos EUA em apoiar seus aliados em uma área de importância crescente para a atual administração democrata, o que torna a contenção da influência da China no plano global uma peça central de sua política externa.

    Na segunda-feira (23), Harris disse à tripulação de um navio de combate norte-americano na base naval de Changi, em Cingapura, que "uma grande parte da História do século XXI será escrita sobre esta mesma região" e que seu trabalho defendendo a região é fundamental, informa o The Guardian.

    As declarações de Harris chegam, no entanto, em um momento crítico para os EUA, quando Washington retira seu foco de 20 anos do Oriente Médio, com uma saída desastrosa do Afeganistão, e o direciona para a Ásia.

    Depois de Cingapura, Harris visitará o Vietnã, onde se deverá se reunir com altos funcionários na quarta-feira (25).

    Mais:

    Índia afirma presença naval no mar do Sul da China em meio a oposição dos EUA à 'agressão' de Pequim
    China: nova lei pode reforçar controle de dados de empresas chinesas que buscam listagem nos EUA
    EUA 'não têm credibilidade' para fazer comentários sobre mar do Sul da China, diz emissário chinês
    Tags:
    EUA, Kamala Harris, China, Mar do Sul da China, tensão geopolítica, Indo-Pacífico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar