00:05 24 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    160
    Nos siga no

    O chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Josep Borrell, declarou que é "impossível" para o bloco evacuar todos seus aliados afegãos de Cabul até o final de agosto, e culpou as forças dos EUA no aeroporto da cidade por impedirem afegãos de abandonarem o país.

    Borrell afirmou que seria "matematicamente impossível" retirar dezenas de milhares de trabalhadores afegãos de Cabul até o final de agosto, quando as últimas tropas norte-americanas estão se preparando para deixar o Afeganistão. O diplomata, por sua vez, acabou por não mencionar a enchente adicional de refugiados que tem vindo a dividir os vários Estados europeus relativamente a sua aceitação.

    Quase uma semana após a queda de Cabul para as forças do Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em outros países), os EUA e outros países ocidentais ainda estão evacuando seus cidadãos do Aeroporto Internacional Hamid Karzai, que continua sendo a única conexão entre Cabul e o Ocidente.

    Membros do Talibã fazem gesto de controle de veículo em uma rua de Cabul, Afeganistão, 16 de agosto de 2021
    © REUTERS
    Membros do Talibã fazem gesto de controle de veículo em uma rua de Cabul, Afeganistão, 16 de agosto de 2021
    Após milhares de afegãos terem invadido a pista do aeroporto e tentado forçar sua entrada nos aviões de transporte norte-americanos – tendo alguns morrido no processo – o local é agora cercado pelas tropas de Washington, sendo que no exterior do aeroporto também se encontram combatentes do Talibã reforçando a segurança.

    A presença de militantes do grupo insurgente perto do aeroporto tem dificultado os esforços da UE para evacuar os cidadãos europeus do Afeganistão, disse Josep Borrell, alto representante da UE para assuntos externos, à AFP no sábado (21).

    "O problema é o acesso ao aeroporto. O controle e as medidas de segurança dos norte-americanos são muito fortes. Nós reclamamos. Pedimos para eles que mostrassem mais flexibilidade. Não somos capazes de fazer passar nossos funcionários", explicou o diplomata.
    Fuzileira naval dos EUA verifica dois civis durante processo de evacuação no Aeroporto Internacional Hamid Karzai, Cabul, Afeganistão, 18 de agosto de 2021
    © REUTERS / Corpo da Marinha dos EUA / 1º sargento Victor Mancilla / Handout
    Fuzileira naval dos EUA verifica dois civis durante processo de evacuação no Aeroporto Internacional Hamid Karzai, Cabul, Afeganistão, 18 de agosto de 2021

    Várias nações europeias têm repatriado seus cidadãos nesta última semana, tendo alguns sido resgatados por helicóptero, enquanto que a outros ordenaram que fizessem seu próprio caminho até o aeroporto.

    Incerto do que poderá acontecer até o final deste mês, Borrell aceitou um futuro de relações diplomáticas com um Afeganistão liderado pelo Talibã.

    "O Talibã ganhou a guerra, então teremos que falar com eles", observando que o diálogo com o grupo seria necessário para "evitar um desastre humanitário e um potencial desastre migratório", disse Borrell.

    Mais:

    Taiwan acusa China de 'imitar' Talibã e agradece apoio diplomático dos EUA à ilha
    Seis países da UE apelam ao bloco para manter deportações de refugiados afegãos apesar da guerra
    Anistia Internacional condena 'massacre' por Talibã de 9 civis de minoria étnica no Afeganistão
    Tags:
    Afeganistão, EUA, Talibã, resgate, evacuação, União Europeia, Josep Borrell
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar