21:38 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    6823
    Nos siga no

    Secretário do Conselho de Segurança da Rússia, Nikolai Patrushev, afirmou que o número de ataques "cresceu significativamente" no país asiático apesar da permanência das tropas norte-americanas.

    Os esforços dos EUA para acabar com o tráfico de drogas durante sua presença militar no Afeganistão não só não foram frutíferos, como a produção de entorpecentes no país da Ásia Central cresceu exponencialmente, afirma o secretário do Conselho de Segurança da Rússia, Nikolai Patrushev, em entrevista publicada esta quinta-feira (19) ao jornal Izvestia.

    "Em vez de combater o narcotráfico, durante as duas décadas de controle político-militar do Afeganistão os EUA puseram em prática um projeto para criar um laboratório de drogas em escala global. A produção de opiáceos se multiplicou em mais de 40 vezes", disse o secretário russo.

    Nikolai Patrushev lembrou ainda que os objetivos de Washington no Afeganistão não se reduziam apenas à eliminação dos perpetradores dos ataques de 11 de setembro em Nova York, mas também a tarefas mais amplas, como a luta contra o terrorismo internacional e o treinamento das tropas afegãs.

    "Na realidade, durante a presença das forças dos EUA o número de ataques terroristas no Afeganistão se multiplicou", revelou Patrushev, acrescentando que organizações terroristas como a Al-Qaeda e Daesh (organizações terroristas proibidas na Rússia e demais países) usam o território afegão como base para atuar em outros países da Ásia Central, bem como na Índia, na região chinesa de Xinjiang ou no Irã.

    Membros da Al-Qaeda posam para foto com os rostos cobertos
    © East News / Pacific Press
    Membros da Al-Qaeda posam para foto com os rostos cobertos

    'Mina de ouro'

    Por outro lado, o secretário russo destacou que, para alguns norte-americanos a guerra no Afeganistão tornou-se uma "mina de ouro", com o complexo militar-industrial e os empreiteiros privados a tirar grande proveito econômico da situação.

    "Gastando enormes somas para manter suas tropas, os EUA não criaram infraestrutura social ou empreendimentos civis. A única coisa que restou para os afegãos comuns foi a devastação. O próprio desenvolvimento do país retrocedeu décadas", lamentou.

    Quanto a uma eventual entrada de contingentes russos no Afeganistão, Patrushev descartou a ideia, garantindo que "não há premissas para isso". O secretário do Conselho de Segurança da Rússia indicou que Moscou tentará contribuir para a resolução do conflito por meio de contatos políticos e diplomáticos. Além disso, indicou que o governo russo está pronto para dialogar com aquelas forças que "contam com a vontade do povo afegão" para fazer do país um Estado "forte e próspero".

    Mais:

    'Entrada dos EUA no Afeganistão nem deveria ter acontecido', diz analista brasileiro
    Itamaraty planeja conceder visto humanitário no Brasil para refugiados do Afeganistão, diz mídia
    FOTOS mostram tropas americanas no Afeganistão após chegada do Talibã ao poder
    Tropas dos EUA podem permanecer no Afeganistão além de agosto, diz Biden
    Tags:
    Afeganistão, guerra afegã, Guerra no Afeganistão, EUA, Rússia, droga, Drogas, drogas, guerra às drogas, tráfico de drogas, Cabul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar