09:41 25 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    3312
    Nos siga no

    O Reino Unido anunciou ainda um projeto de reassentamento para afegãos que fogem do Talibã, oferecendo 5.000 vagas no primeiro ano, aumentando para 20.000 no longo prazo.

    O presidente dos EUA, Joe Biden, conversou nesta terça-feira (17) com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, em sua primeira ligação com um líder mundial desde que Cabul caiu nas mãos do grupo terrorista Talibã. Os líderes discutiram a crise no Afeganistão e concordaram em convocar para a semana que vem uma cúpula virtual dos líderes do G7, grupo que reúne os sete países mais desenvolvidos do mundo, para discutir uma estratégia comum para o Afeganistão.

    "O presidente Joe Biden e o primeiro-ministro Boris Johnson falaram hoje [17 de agosto] sobre os acontecimentos no Afeganistão [...]. Eles também discutiram a necessidade de uma coordenação próxima e contínua entre aliados e parceiros democráticos sobre a política do Afeganistão no futuro, incluindo maneiras de a comunidade global fornecer mais assistência humanitária e apoio para refugiados e outros afegãos vulneráveis. Eles concordaram em realizar uma reunião virtual dos líderes do G7 na próxima semana para discutir uma estratégia e abordagem comuns", disse a Casa Branca em comunicado.

    Também nesta terça-feira (17), o Reino Unido anunciou um projeto de reassentamento para afegãos que fogem do Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países), oferecendo 5.000 vagas no primeiro ano, aumentando para 20.000 no longo prazo. O esquema é baseado no que reassentou 20.000 refugiados do conflito na Síria de 2014 a este ano.

    Militante do Talibã em Cabul, Afeganistão, 16 de agosto de 2021
    © AP Photo / Rahmat Gul
    Militante do Talibã em Cabul, Afeganistão, 16 de agosto de 2021

    Londres disse que a prioridade seria dada às pessoas em maior risco, incluindo mulheres afegãs, crianças e outras pessoas forçadas a fugir, oferecendo-lhes a chance de permanecer no Reino Unido indefinidamente.

    "Temos uma dívida de gratidão com todos aqueles que trabalharam conosco para tornar o Afeganistão um lugar melhor nos últimos 20 anos [...]. Muitos deles, principalmente mulheres, precisam urgentemente de nossa ajuda", afirmou o primeiro-ministro britânico, citado pela agência AFP.

    Cerca de 900 soldados britânicos foram enviados de volta à capital afegã para ajudar a repatriar milhares de cidadãos do Reino Unido, incluindo funcionários da embaixada. Desde sábado (14), véspera da captura de Cabul pelo Talibã, 520 cidadãos britânicos, diplomatas e ex-funcionários afegãos deixaram o Afeganistão em voos militares, disse o Ministério do Interior do Reino Unido.

    Mais:

    Alemanha quer resgatar até 10 mil pessoas do Afeganistão, disse chanceler Angela Merkel
    Aeronaves militares do Afeganistão e Uzbequistão se chocam durante voo
    Secretário de Defesa britânico lamenta papel do Ocidente no Afeganistão
    Após Iugoslávia e Líbia não devia haver outras expectativas sobre EUA no Afeganistão, diz MRE russo
    Tags:
    Joe Biden, Boris Johnson, G7, Cúpula do G7, Afeganistão, Talibã, EUA, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar