08:55 25 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    245
    Nos siga no

    O primeiro avião de resgate da Alemanha chegou ao aeroporto de Cabul, no Afeganistão, onde inúmeras pessoas esperam ansiosamente por uma chance de fugir. No entanto, as forças alemãs não conseguirem retirar nem uma dezena de afegãos do local.

    Na segunda-feira (16), a chanceler alemã, Angela Merkel, se reuniu com membros de seu partido para avaliarem a situação atual no Afeganistão. Ela teria então informado que Berlim planejava retirar até dez mil pessoas do país, que passariam a ser responsabilidade do Estado europeu.

    Hoje (17), porém, a Alemanha reportou que apenas sete pessoas foram evacuadas com sucesso de Cabul em uma aeronave A400M. Annegret Kramp-Karrenbauer, ministra da Defesa alemã, culpou o caos vivido no aeroporto pelo fracasso da missão.

    "Temos uma situação muito caótica, perigosa e complexa no aeroporto [...] Tivemos muito pouco tempo, então só recebemos a bordo pessoas que estavam no local", explicou a ministra.

    De acordo com um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Alemanha, apenas sete pessoas conseguiram entrar no avião antes que ele tivesse que sair rapidamente. Agora, Berlim está esperando a permissão dos EUA para realizar um segundo voo desde Tashkent.

    Pessoas tentam entrar no aeroporto de Cabul, Afeganistão
    © REUTERS / REUTERS TV
    Pessoas tentam entrar no aeroporto de Cabul, Afeganistão

    Durante a reunião de segunda-feira (16), Merkel sublinhou que a guerra no Afeganistão conseguiu impedir a Al-Qaeda (organização terrorista proibida na Rússia e em outros países) de repetir ataques da natureza dos de 11 de setembro de 2001 contra os EUA, mas também referiu que "tudo o que se seguiu não foi tão bem-sucedido e não foi alcançado da maneira que tínhamos planejado".

    Há seis anos, a Alemanha abriu suas fronteiras para mais de um milhão de imigrantes, muitos deles fugindo da guerra na Síria. Tal ação foi aplaudida por vários países pelo mundo afora, mas acabou criando controvérsia entre as facções políticas alemãs e, do mesmo jeito, dentro do partido democrata-cristão de Merkel.

    "Para nós, está claro que 2015 não se deve repetir [...] Não conseguiremos resolver a questão do Afeganistão através da migração para a Alemanha", disse Paul Ziemiak, secretário-geral do partido.

    Nos últimos dias, milhares de afegãos se têm aglomerado no asfalto do aeroporto de Cabul, tentando desesperadamente entrar a bordo de um avião que os possa levar para bem longe do Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em outros países).

    Mais:

    Secretário de Defesa britânico lamenta papel do Ocidente no Afeganistão
    Situação em cidades afegãs após Talibã tomar controle de todo o país
    Senador dos EUA insta a que se investiguem ações de Biden no Afeganistão
    Tags:
    Cabul, Afeganistão, Talibã, Alemanha, Angela Merkel, resgate
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar