17:37 18 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    311424
    Nos siga no

    O presidente norte-americano Joe Biden afirmou nesta segunda-feira (16) que as tropas norte-americanas no Afeganistão não deveriam lutar em uma guerra na qual os próprios afegãos não estão dispostos a lutar.

    "As tropas norte-americanas não podem e não deveriam estar lutando em uma guerra, e morrendo em uma guerra, que as forças afegãs não estão dispostas a lutar por si mesmas", disse Biden em discurso na Casa Branca sobre a situação no Afeganistão.

    Biden acrescentou que "os líderes políticos do Afeganistão não foram capazes de se unir para o bem de seu povo e pelo futuro de seu país".

    O presidente deixou ainda um aviso ao Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) para que o movimento não interfira na evacuação de milhares de diplomatas norte-americanos e tradutores afegãos do aeroporto de Cabul. A resposta a qualquer ataque seria "rápida e enérgica", disse Biden. "Defenderemos nosso povo com força devastadora, se necessário".

    Biden garantiu que os EUA continuarão a apoiar o povo do Afeganistão por meio da diplomacia e da ajuda humanitária: "Continuaremos a apoiar o povo afegão. Lideraremos com nossa diplomacia, nossa influência internacional e ajuda humanitária".

    Adicionalmente, o líder democrata também prometeu que os EUA continuarão evacuando milhares de cidadãos norte-americanos e aliados afegãos do país nos próximos dias.

    O presidente norte-americano acrescentou que Washington continuará a defender os direitos das mulheres e meninas do Afeganistão.

    Tendo em conta em os acontecimentos mais recentes, Biden afirmou, com um tom meio severo, que continuava apoiando sua decisão de retirar as forças norte-americanas do país, e que o colapso das forças afegãs tinha acontecido mais cedo do que era esperado.

    O presidente norte-americano disse não voltar a repetir os erros do passado, e que não se arrepende de ter avançado com a retirada das forças de Washington do solo afegão.

    "Eu apoio totalmente minha decisão [...] Após estes 20 anos aprendi do jeito mais duro que nunca houve um tempo certo para evacuar as forças dos EUA", comentou Biden, se dirigindo à nação em uma transmissão em TV a partir da Casa Branca.

    O presidente democrata disse que preferia enfrentar criticismo sobre o que está acontecendo no Afeganistão, em vez de deixar tamanha decisão para o próximo presidente. O chefe de Estado norte-americano acredita que a decisão de deixar o Afeganistão é "a correta para os EUA."

    Além disso, Joe Biden apontou que tanto a China como a Rússia "adorariam ver" Washington gastando bilhões de dólares indefinidamente na estabilização do Afeganistão.

    Mais:

    'Derrota' dos EUA no Afeganistão pode ser chance para paz no país e boas relações com Irã, diz Raisi
    Instabilidade no Afeganistão pode causar migração descontrolada para Europa, diz Macron
    Aeronaves militares do Afeganistão e Uzbequistão se chocam durante voo
    Tags:
    Afeganistão, EUA, Joe Biden, tropas, Talibã, colapso, retirada
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar