07:49 16 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    7385
    Nos siga no

    O Reino Unido disse que não planeja confrontar a China no mar do Sul da China, afirmando que pretende enviar seu grupo de assalto de porta-aviões em uma rota mais direta através das águas contestadas da Cingapura até o mar das Filipinas.

    Essa informação surge horas depois das forças militares e mídia estatal da China avisarem Londres sobre as consequências de tamanha provocação, reporta o The Guardian.

    Fontes da Defesa britânica contaram que o porta-aviões HMS Queen Elizabeth navegaria a "dezenas de milhas longe" das ilhas Spratly e Paracel, reclamadas pelo gigante asiático.

    O porta-aviões britânico e várias embarcações aliadas entraram no mar do Sul da China no início desta semana, e devem sair da zona até o final de sábado (31). O Queen Elizabeth e seus navios de apoio estão participando de exercícios no mar das Filipinas com os EUA, Austrália, França e Japão em uma demonstração multinacional de força contra Pequim, segundo a mídia.

    Anteriormente, um porta-voz do Ministério da Defesa Nacional da China, Wu Qian, declarou que o país respeita a liberdade de navegação, mas se opõe firmemente a quaisquer atividades navais que provoquem controvérsia.

    "[Toda] a ação nunca deve tentar desestabilizar a paz regional, incluindo a mais recente colaboração militar entre o Reino Unido e o Japão [...] A Marinha chinesa tomará todas as medidas necessárias para contrabalançar tal comportamento", disse o porta-voz, citado pelo The Guardian.

    Essa conta como a quinta vez que um corpo militar do Reino Unido, que inclui dois destróieres e duas fragatas, é enviado para a região do Indo-Pacífico.

    Mais:

    Índia implanta jatos Rafale perto do Tibete em meio a tensões com China
    Reino Unido pretende expulsar China do mercado britânico de energia nuclear, revela mídia
    China caracteriza passagem de navios dos EUA pelo estreito de Taiwan de 'maior destruidor da paz'
    Tags:
    China, Reino Unido, Mar do Sul da China, exercícios, Defesa, Indo-Pacífico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar