07:15 26 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    113
    Nos siga no

    A oposição indiana acusa o governo do país de espionar ilegalmente mais de 300 cidadãos indianos. Agora o Paquistão se junta ao coro dizendo que o seu primeiro-ministro também foi vítima.

    O Paquistão expressou nesta sexta-feira (23) "séria preocupação" com relatos na mídia sobre a suposta espionagem da Índia em países estrangeiros, incluindo o primeiro-ministro Imran Khan, usando o software israelense Pegasus, e pediu à Organização das Nações Unidas (ONU) que investigue a fundo o assunto.

    O jornal Washington Post relatou recentemente que um número de telefone que já foi utilizado por Khan está na lista de supostamente espionados. O software desenvolvido pelo grupo NSO é capaz de minerar registros de chamadas, mensagens, bate-papos do WhatsApp, localizações e outras atividades da tela do telefone da vítima e transmitir os dados ao invasor.

    Na Índia, os principais líderes da oposição ao governo Narendra Modi, Rahul Gandhi e Priyanka Gandhi Vadra, levantaram questões sobre o potencial envolvimento da administração Modi com o software Pegasus em uma tentativa de suprimir as vozes opostas.

    "Notamos com grande preocupação os recentes relatórios da mídia internacional expondo as operações organizadas de espionagem do governo indiano contra seus próprios cidadãos, estrangeiros, bem como contra o primeiro-ministro Imran Khan, usando um spyware de origem israelense", disse o Ministério das Relações Exteriores paquistanês nesta sexta-feira (23), citado pelo jornal indiano The Economic Times.
    Em Ahmedabad, na Índia, o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, discursa durante encontro em celebração aos 75 anos de independência do país, em 12 de março de 2021
    © REUTERS / Amit Dave
    Em Ahmedabad, na Índia, o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, discursa durante encontro em celebração aos 75 anos de independência do país, em 12 de março de 2021

    Escândalo Pegasus

    Recentemente, um consórcio de 17 veículos de mídia publicou uma série de reportagens mostrando que o software Pegasus, utilizado por serviços de inteligência para perseguir criminosos e terroristas, foi usado para espionar políticos, empresários, ativistas, jornalistas e oposicionistas em todo o mundo.

    Aparelho celular do presidente francês Emmanuel Macron teria sido um dos alvos de vigilância pelo governo marroquino. O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, teria sido espionado pelo ex-presidente mexicano Enrique Peña Nieto. Segundo a mídia francesa, pelo menos 50 mil pessoas de todo o mundo estão entre as vítimas.

    Mais:

    Malware de empresa israelense hackeou vários celulares, incluindo os de chefes de Estado, diz mídia
    Conselheira de Biden trabalhou para NSO Group israelense criadora do spyware Pegasus, diz jornalista
    Snowden diz que escândalo envolvendo sistema de espionagem israelense Pegasus é 'a história do ano'
    Nord Stream 2, relação com Rússia, caso Pegasus: Merkel dá sua última coletiva anual como chanceler
    Tags:
    Pegasus, hacker, ataque hacker, hackers, Paquistão, Índia, Imran Khan, Emmanuel Macron, Andrés Manuel López Obrador
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar