11:59 24 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de junho de 2021 (22)
    01311
    Nos siga no

    Em discurso na convenção do Partido Republicano na Carolina do Norte, EUA, Donald Trump afirmou que "chegou a hora" de o mundo responsabilizar a China por seu papel na atual pandemia.

    A China rejeitou nesta segunda-feira (7) a exigência do ex-presidente dos EUA, Donald Trump, de pagar US$ 10 trilhões (aproximadamente R$ 50,53 trilhões) como indenização a Washington e ao mundo pela morte e destruição causada pela COVID-19, dizendo que a responsabilidade recai sobre os políticos que ignoraram a vida e a saúde das pessoas.

    "Trump repetidamente ignorou os fatos e tentou se esquivar de suas responsabilidades de não responder à epidemia e tentou desviar a atenção das pessoas", afirmou porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, citado pelo portal Hindu BusinessLine.

    O porta-voz do MRE chinês acrescentou que Pequim acredita que o "povo norte-americano tem um julgamento justo sobre quem deve ser responsabilizado. São aqueles políticos hipócritas que ignoraram a vida e a saúde das pessoas que devem ser responsabilizados".

    O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, fala durante uma reunião diária no Ministério das Relações Exteriores em Pequim. Foto de arquivo
    © AP Photo / Mark Schiefelbein
    O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, fala durante uma reunião diária no Ministério das Relações Exteriores em Pequim. Foto de arquivo

    Indenização trilionária

    No fim de semana, em discurso na convenção do Partido Republicano na Carolina do Norte, EUA, Trump afirmou que "chegou a hora" de o mundo responsabilizar a China por seu papel na atual pandemia.

    "Chegou a hora da América e o mundo exigirem indenizações e responsabilização do Partido Comunista da China […]. [A] China deve pagar, eles devem pagar", acrescentou.

    Trump disse ainda que a China não conseguiu controlar o SARS-CoV-2 em casa e permitiu que a COVID-19 se propagasse para o mundo como um incêndio.

    Os comentários do ex-presidente norte-americano ocorrem em um momento em que a teoria de que COVID-19 se originou em um laboratório chinês tem ganhado atenção renovada depois de anteriormente ter sido descartada.

    O atual presidente dos EUA, Joe Biden, ordenou recentemente às agências de inteligência do país que aumentassem seus esforços para determinarem como o SARS-CoV-2 se originou, incluindo a teoria do vazamento de laboratório.

    Em março, um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), compilado em colaboração com autoridades chinesas, insistiu que é "extremamente improvável" que o novo coronavírus tenha escapado de um laboratório chinês de pesquisa em Wuhan.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de junho de 2021 (22)

    Mais:

    CPI da Covid: resposta do governo à pandemia ou novo 'teatro' do Brasil?
    Fauci diz que e-mails divulgados sobre origens da COVID-19 foram 'retirados do contexto'
    COVID-19: Brasil é front da guerra de soft power, diz professor após país receber tecnologia dos EUA
    Restrições da COVID-19 poderiam ter contribuído para 'extinção' de outros vírus, sugere estudo
    Tags:
    COVID-19, pandemia, SARS-CoV-19, Donald Trump, China, EUA, Wuhan
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar