22:36 18 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 41
    Nos siga no

    A região de Kailash se tornou altamente disputada entre Pequim e Nova Deli quando o exército indiano ocupou certas alturas cruciais com vista para as posições chinesas em agosto do ano passado.

    Um veículo aéreo não tripulado chinês destinado a ser usado para vigilância em posições indianas nas regiões de Pangong Tso e Kailash, em Ladakh, foi desenvolvido em Shaanxi e completou seu primeiro voo na região autônoma do Tibete, afirma um relatório de inteligência indiano, reporta o portal India Today nesta terça-feira (25).

    "O drone decolou de uma altitude de 4.700 metros no município de Baga e concluiu sua tarefa de patrulhamento, controle e operação de busca na região montanhosa de Kailash. O drone foi desenvolvido na província chinesa de Shaanxi", afirma o relatório de inteligência.

    No ano passado, a China também realizou testes em helicópteros não tripulados. Mas, de acordo com a mídia, este é VANT com asas, que passou por testes específicos para o terreno acidentado de Kailash para captar todos os movimentos.

    Comboio de veículos militares do Exército indiano avança na estada Srinagar-Ladakh em Gagangeer, na região da Caxemira controlada pela Índia
    © AP Photo / Dar Yasin
    Comboio de veículos militares do Exército indiano avança na estada Srinagar-Ladakh em Gagangeer, na região da Caxemira controlada pela Índia

    Impasse militar

    Vizinhas, China e Índia não têm uma fronteira marcada na região de Ladakh, sendo a separação entre os dois países estabelecida pela Linha de Controle Real, criada após a guerra de 1962 entre Nova Deli e Pequim.

    Desde então, vários conflitos fronteiriços ocorreram ao longo das décadas. Em maio de 2020, a China surpreendeu a Índia ao desviar tropas chinesas de seus exercícios anuais para realizar várias incursões no leste de Ladakh.

    Cerca de 250 soldados chineses e indianos se enfrentaram na noite de 5 de maio na zona de Pangong Tso, deixando mais de 100 feridos em ambos os lados.

    Houve 11 rodadas de negociações entre China e Índia desde então, o que levou à retirada das tropas chinesas de Pangong Tso e de Kailash.

    Caminhões do Exército da Índia junto do lago Pangong Tso, perto da fronteira da Índia com a China, na área de Ladakh, Índia, 14 de setembro de 2017
    © AP Photo / Manish Swarup
    Caminhões do Exército da Índia junto do lago Pangong Tso, perto da fronteira da Índia com a China, na área de Ladakh, Índia, 14 de setembro de 2017

    A região de Kailash se tornou altamente disputada quando o exército indiano ocupou certas alturas cruciais com vista para as posições chinesas em agosto do ano passado. Isso foi feito para conter as alegadas incursões da China ao longo da margem norte do lago Pangong Tso.

    O processo de retirada das tropas foi supostamente interrompido depois que Pequim se recusou a retirar suas tropas de três outras áreas disputadas na 11ª rodada de reuniões de comandantes militares em 9 de abril.

    Mais:

    Com dezenas de mortes, Índia busca sumidos arrastados para mar pelo furacão Tauktae (FOTOS, VÍDEO)
    Dois estados da Índia declaram epidemia de 'fungo preto' em meio a aumento de infecções
    Como a parceria entre Brasil e Índia pode cooperar para o futuro da bioenergia?
    Crise na Índia: empresários pagam até 6.000 euros em jatos particulares para sair do país
    Tags:
    conflito, conflito regional, veículo aéreo não tripulado, veículos não tripulados, Índia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar