01:10 19 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    52713
    Nos siga no

    O presidente das Filipinas disse que não recuará "nem um centímetro" em deixar embarcações filipinas em sua Zona Econômica Exclusiva perto de águas contestadas com a China.

    Manila não retirará navios de águas contestadas com Pequim no mar do Sul da China, anunciou na sexta-feira (14) Rodrigo Duterte, presidente das Filipinas, conforme citado pela agência britânica Reuters.

    "Temos uma posição aqui e quero afirmar aqui e agora novamente que nossos navios lá [...] não vamos recuar nem um centímetro", afirmou o líder filipino em discurso transmitido na televisão.

    As Filipinas aumentaram sua presença em áreas contestadas de sua Zona Econômica Exclusiva (ZEE), incluindo a ilha Thitu, próxima a uma instalação militar chinesa, desafiando a presença há meses de centenas de embarcações da China, que Duterte acredita serem tripuladas por milícias.

    Navio pesqueiro da China ancorado ao lado de barcos de pesca filipinos no disputado recife de Scarborough (foto de arquivo)
    © REUTERS / Erik de Castro
    Navio pesqueiro da China ancorado ao lado de barcos de pesca filipinos no disputado recife de Scarborough (foto de arquivo)

    "Eu não quero uma briga, não quero problemas. Respeito sua posição, e você respeita a minha. Mas não entraremos em guerra", declarou Duterte.

    "Não me retirarei. Mesmo que você me mate. Nossa amizade vai acabar aqui."

    A China exortou as Filipinas em abril a "pararem as ações que complicam a situação e as disputas crescentes" em resposta a um raro exercício marítimo filipino.

    Mais:

    Filipinas acusam China de invadir seu território marítimo com 220 barcos
    Filipinas temem 'hostilidades indesejadas' com China em volta de território disputado, diz mídia
    Duterte só partirá para confronto se China extrair petróleo em águas disputadas, informa mídia
    Chanceler filipino pede perdão pela postagem ofensiva sobre China
    Tags:
    Reuters, Mar do Sul da China, Rodrigo Duterte, Filipinas, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar