22:29 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    124
    Nos siga no

    Um corpo militar filipino informou sobre uma aglomeração de 287 navios de guerra chineses dentro e em torno da Zona Econômica Exclusiva (ZEE) das Filipinas no mar do Sul da China.

    A Força-Tarefa Nacional para o mar Ocidental das Filipinas (termo usado pelas Filipinas para se referir ao mar do Sul da China), divulgou a detecção de todos esses navios da Milícia Marítima das Forças Armadas Populares da China (PAFMM, na sigla em inglês) após uma patrulha marítima conduzida no domingo passado (9), informa a agência governamental PNA.

    As embarcações estavam espalhadas ao longo dos recifes e ilhotas do município de Kalayaan, que faz parte das disputadas ilhas Spratly.

    A Força-Tarefa filipina relatou a presença de 34 navios chineses perto do recife de Whitsun, denominado por Manila de recife de Juan Felipe, uma área que neste ano foi palco de um sério confronto entre os dois países devido à presença de uma frota de embarcações pesqueiras durante várias semanas.

    A recente declaração reitera a reivindicação de soberania de Manila sobre o recife, ressaltando que o mesmo faz parte da sua Zona Econômica Exclusiva de 200 milhas marítimas.

    Em março, as Filipinas descreveram a presença de mais de 200 barcos, supostamente tripulados por milícias, dentro de sua Zona Econômica Exclusiva de 200 milhas como "ameaçadora", enquanto Estados Unidos, Japão e outros países manifestaram preocupações com as intenções da China, o que provocou repreensões por parte de Pequim.

    Mais:

    Japão fornece equipamento de defesa às Filipinas em meio a tensões com China
    Filipinas se fortalecem no mar do Sul da China para proteger suas águas ante tensões com Pequim
    Filipinas encorajam seus pescadores a ignorarem proibição de pesca no mar do Sul da China, diz mídia
    Tags:
    Mar do Sul da China, territórios disputados, China, tensão regional, Filipinas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar