02:40 21 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    5242
    Nos siga no

    A China ameaçou a Suécia de proibir os produtos da Ericsson em Pequim se o país nórdico não permitir a importação de equipamentos 5G da Huawei, de acordo com o The Wall Street Journal.

    A participação da gigante sueca de telecomunicação na expansão da rede 5G chinesa foi questionada em outubro passado, quando os operadores de comunicações móveis na Suécia foram proibidos de usarem equipamentos Huawei chineses.

    De acordo com o regulador nacional, citado pelo The Wall Streer Journal, a decisão foi tomada por haver suspeitas de ameaças à segurança nacional.

    A Huawei espera recorrer da decisão no tribunal nas próximas semanas, caso contrário, Pequim pretende proibir os suprimentos da Ericsson para a China.

    O representante da Ericsson e o ministro do Comércio Exterior da Suécia se recusaram a comentar a situação. Entretanto, as ações da Ericsson caíram quase 4% nas últimas 24 horas.

    Em 14 de julho do ano passado, o ministro britânico das Tecnologias Digitais, Cultura, Mídia e Esporte, Oliver Dowden, confirmou que o Reino Unido não utilizará equipamento da Huawei na infraestrutura nacional de telecomunicações. De acordo com o ministro, as autoridades britânicas sugeriram que o equipamento poderia ser utilizado pela China para espionagem ou para bloquear a infraestrutura do país.

    Em maio de 2019, o Departamento do Comércio dos EUA adicionou a Huawei à sua lista negra. A empresa foi proibida de comprar tecnologias e componentes de fabricantes norte-americanos e cooperar com empresas dos Estados Unidos sem aprovação das autoridades do país. Além disso, Washington também pediu aos aliados que rejeitassem os equipamentos da Huawei.

    Mais:

    Reguladora dos EUA insta a 'fechar lacuna' que permite Huawei e ZTE no mercado de telecomunicações
    China está muitos passos à frente: Huawei planeja lançar 6G em 2030, relata mídia
    Sanções dos EUA 'causaram dificuldades extremas' à Huawei, diz executivo da empresa
    Tags:
    retaliação, Huawei, Suécia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar