07:02 20 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    113
    Nos siga no

    O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e o presidente dos EUA, Joe Biden, realizarão sua primeira reunião bilateral na Casa Branca, em Washington, no dia 21 de maio.

    Após a divulgação do encontro, a agência sul-coreana de notícias Yonhap destacou que a decisão dos líderes de se encontrar pessoalmente, apesar das condições "difíceis" atribuíveis à pandemia da COVID-19, demonstra a importância da aliança entre Seul e Washington.

    Por meio das próximas negociações, os dois lados devem reafirmar a força da aliança e "desenvolver ainda mais a cooperação abrangente e recíproca" entre seus líderes e povos, disse Chung Man-ho, responsável pela comunicação da Cheong Wa Dae (residência oficial do chefe de Estado da Coreia do Sul).

    Em pauta no encontro, o principal tema será a coordenação para a desnuclearização da Coreia do Norte. Chung Man-ho enfatizou ainda que entre os itens da agenda estão laços "substanciais" na economia e no comércio.

    Novo radar que será desenvolvido para elevar capacidades de defesa da Coreia do Sul
    © Foto / DAPA
    Novo radar que será desenvolvido para elevar capacidades de defesa da Coreia do Sul
    Espera-se, durante o encontro, que Joe Biden faça um novo convite para a Coreia do Sul integrar um fórum de segurança regional, o Diálogo de Segurança Quadrilateral (Quad, na sigla em inglês), cujo objetivo principal é combater a expansão chinesa no Indo-Pacífico.

    Os EUA estão tentando expandir o Quad, que atualmente tem três outros Estados como membros: Japão, Índia e Austrália.

    A Coreia do Sul, por sua vez, afirmou no último dia 11 que não tem interesse em fazer parte do tratado. Segundo fontes do governo do Japão ouvidas pelo jornal Yomiuri, Seul teria ressaltado que a sua posição é não participar de alianças dirigidas contra um determinado país.

    Vale lembrar que este é o segundo encontro de Joe Biden com lideranças políticas de outros países desde que assumiu a presidência dos EUA, e ambos foram com aliados asiáticos. A primeira, no início deste mês, foi com o primeiro-ministro japonês Yoshihide Suga.

    Ao longo de sua campanha, Biden identificou a ascensão da China e da Rússia como os maiores desafios geopolíticos que os EUA enfrentam. Desde que tomou posse, ele tem trabalhado para escorar apoio entre aliados na região.

    Helicópteros Apache utilizados pela Coreia do Sul
    © AP Photo / Ahn Young-joon
    Helicópteros Apache utilizados pela Coreia do Sul

    Mais:

    EUA e Coreia do Sul acreditam que Pyongyang terá em breve submarino com mísseis balísticos
    Irã exige que Coreia do Sul libere bilhões em fundos congelados sob sanções dos EUA
    Coreia do Sul avança com a tributação sobre criptomoedas
    Tags:
    EUA, Coreia do Sul, China, Rússia, Joe Biden, Casa Branca, Cheong Wa Dae, Coreia do Norte, nuclear, arma nuclear, guerra nuclear, desnuclearização, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar