12:45 20 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 64
    Nos siga no

    Segundo revista militar chinesa, Vietnã está fortalecendo milícia marítima no mar do Sul da China, de modo a, alegadamente, desafiar o gigante asiático em sua disputa pela dominância das águas em questão.

    Pequim reivindica grande parte do mar do Sul da China, fazendo de Hanói mais uma de suas rivais na região. Contudo, assim como a China, este país do Sul Asiático também tem uma longa tradição de utilizar milícia marítima para defender suas pretensões territoriais, de acordo com o jornal South China Morning Post.

    Desde 2009, Vietnã tem uma lei que autoriza sua milícia marítima a conduzir patrulhas e atividades de vigilância no mar, e a confrontar e expulsar navios intrusos estrangeiros em defesa das ilhas e recifes sob controle vietnamita.

    "A força miliciana marítima do Vietnã e suas atividades em águas próximas de Hainan, das ilhas Paracel e das ilhas Spratly têm ameaçado a aplicação da lei marítima e a segurança de defesa nacional da China", segundo publicou a revista Naval and Merchant Ships na semana passada, citada pelo jornal chinês. Assim, Pequim está ciente que lidar com Vietnã é um assunto que deverá ser levado a sério, acrescentou.
    Bombardeiro chinês H-6K patrulhando águas disputadas do mar do Sul da China
    © AP Photo / Liu Rui/Xinhua
    Bombardeiro chinês H-6K patrulhando águas disputadas do mar do Sul da China

    Não se sabe ao certo o número exato de integrantes da milícia vietnamita, apenas que, quando não se encontram pescando, os milicianos vietnamitas devidamente treinados tendem a participar de várias missões, às vezes, em cooperação com a Marinha vietnamita, conforme consta na matéria.

    A revista referida pelo South China Morning Post acusa a milícia de espiar as embarcações e instalações militares chinesas, bem como de, deliberadamente, perseguir a Guarda Costeira da China, com o objetivo de atrair a atenção da mídia ocidental.

    Na verdade, confrontos entre os dois países comunistas não são assim tão recentes, especialmente no que toca à disputa por recursos naturais no mar do Sul da China.

    Em 2014, por exemplo, a milícia marítima do Vietnã cercou a plataforma petrolífera chinesa HYSY-981, e demonstrou ser agressiva ante as forças de segurança marítimas de outros países da região, aponta Collin Koh, pesquisador da Escola de Estudos Internacionais S Rajaratnam, da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Singapura.

    Embarcações chinesas, supostamente controladas por milícias marítimas chinesas no recife de Whitsun, mar do Sul da China, 27 de março de 2021
    © REUTERS / Guarda Costeira das Filipinas
    Embarcações chinesas, supostamente controladas por milícias marítimas chinesas no recife de Whitsun, mar do Sul da China, 27 de março de 2021

    Cinco anos mais tarde, teve lugar outro confronto entre as milícias chinesa e vietnamita trabalhando em suporte de suas guardas costeiras, perto do Banco Vanguard, rico em petróleo.

    Porém, no entendimento de Chen Xiangmiao, pesquisador no Instituto Nacional de Estudos do Mar do Sul da China, nos últimos anos, Pequim tem diminuído seu envolvimento de civis em disputas marinhas, em favor do fortalecimento da Guarda Costeira chinesa e de outras forças oficiais de aplicação da lei.

    No entanto, a revista Naval and Merchant Ships acredita que o gigante asiático deva fazer com que sua legislação seja mais dura com embarcações estrangeiras, de modo a pressionar o governo vietnamita, e aumentar sua capacidade de conter a milícia vietnamita.

    Mais:

    Tropas japonesas não se envolverão se China invadir Taiwan, garante Yoshihide Suga
    UE culpa China por colocar em risco paz e estabilidade no mar do Sul da China
    Navios de guerra mais recentes da China poderão ameaçar EUA, aponta analista
    Tags:
    Vietnã, China, Mar do Sul da China, disputa marítima, tensão geopolítica
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar