18:10 21 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1101
    Nos siga no

    O primeiro-ministro da Armênia, Nikol Pashinyan, anunciou no domingo (25) em um discurso na televisão que renuncia ao cargo para a realização no país de eleições parlamentares extraordinárias.

    "Eu renuncio hoje para a realização de eleições parlamentares extraordinárias em 20 de junho", disse.

    Nikol Pashinyan afirmou ainda que será candidato a premiê pelo partido governista Acordo Civil.

    "Acordo Civil participará das eleições parlamentares extraordinárias. Eu vou concorrer ao cargo de primeiro-ministro", disse o político em seu discurso.

    Anteriormente Pashinyan anunciou a realização de eleições parlamentares extraordinárias em 20 de junho. Ele declarou que em abril vai renunciar formalmente para ativar o mecanismo de dissolução do parlamento, mas continuaria liderando o governo até as eleições.

    O mecanismo de dissolução pode ser formalmente ativado após a renúncia. O parlamento será dissolvido se o primeiro-ministro não for eleito pelos deputados por duas vezes dentro de duas semanas.

    No início de 2021 no país ocorreram várias manifestações dirigidas contra o premiê e que exigiam sua renúncia. Os protestos na capital Erevan começaram após Pashinyan pedir a demissão de oficiais de alto escalão, incluindo o chefe do Exército. Os militares exigiram a saída de Pashinyan, o que o primeiro-ministro chamou de tentativa de golpe.

    Em Erevan, capital da Armênia, manifestantes da oposição participam de protesto pedindo a renúncia do primeiro-ministro do país, Nikol Pashinyan, em 27 de fevereiro de 2021
    © AP Photo / Hrant Khachatryan
    Em Erevan, capital da Armênia, manifestantes da oposição participam de protesto pedindo a renúncia do primeiro-ministro do país, Nikol Pashinyan, em 27 de fevereiro de 2021

    Desde o fim do último conflito entre forças azeris e armênias em Nagorno-Karabakh, ocorrido entre setembro e novembro de 2020, oposicionistas têm se manifestado regularmente na capital armênia contra Pashinyan e exigindo sua saída do governo.

    Mais:

    Pashinyan apela que chefe do Estado-Maior da Armênia renuncie voluntariamente
    Rússia, Armênia e Azerbaijão assinam acordo de desenvolvimento da região de Nagorno-Karabakh
    Baku teria detectado destroços de mísseis Iskander em Nagorno-Karabakh, Kremlin nega sua utilização
    Tags:
    Nikol Pashinyan, Armênia, novas eleições
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar