18:53 12 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    4162
    Nos siga no

    O Ministério das Relações Exteriores da China criticou o despejo no mar da água radioativa de Fukushima, citando que os efeitos negativos serão suportados pelos vizinhos do Japão.

    Os resíduos radioativos da usina nuclear de Fukushima lançados ao mar pelo Japão afetarão principalmente os outros países, disse na sexta-feira (23) Zhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China.

    "O descarte de água contaminada nuclear em Fukushima não é definitivamente trabalho doméstico do Japão. Se o esgoto nuclear não está contaminado, por que o Japão não o guarda para si mesmo?", questionou.

    Citando um especialista, ele argumentou que "como os países vizinhos que suportam o peso do esgoto do acidente nuclear do Japão, a China, a Coreia do Sul e outros países têm todo o direito de exigir indenização do Japão", e por isso não podem continuar a se fingirem de surdos e mudos sobre a questão.

    O diplomata chinês acrescentou que se trata de um primeiro passo perigoso, pelo qual Tóquio pagará.

    Na última semana, o Japão revelou que liberaria águas residuais da fechada usina nuclear de Fukushima "em cerca de dois anos", uma iniciativa condenada pelos vizinhos do país.

    Em 2020 a organização ambiental Greenpeace lançou um relatório em que considerava que a água da usina nuclear era mais perigosa que o sugerido pelo Japão, contendo "níveis perigosos de carbono 14", uma substância radioativa que tem o "potencial de danificar o DNA humano". A água também é conhecida por conter trítio radioativo.

    Mais:

    Quais são as discórdias sobre despejo de água contaminada de Fukushima e que consequências teria?
    Porta-voz chinesa desafia EUA a ficarem com água de Fukushima após apoiarem seu despejo no mar
    AIEA enviará especialistas ao Japão para análise de despejo de água contaminada de Fukushima
    Tags:
    Greenpeace, Ministério das Relações Exteriores da China, Ministério das Relações Exteriores, Fukushima, Coreia do Sul, China, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar