21:41 10 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    290
    Nos siga no

    O movimento Talibã insiste na retirada das tropas estrangeiras do Afeganistão até 1º de maio, conforme acertado no acordo de paz de 2020 com os EUA, disse o porta-voz do grupo Zabihullah Mujahid nesta quarta-feira (14).

    "O Emirado Islâmico do Afeganistão [o Talibã, grupo terrorista proibido na Rússia e em outros países] busca a retirada de todas as forças estrangeiras de nossa pátria na data especificada no Acordo de Doha. Se o acordo for cumprido, um caminho para resolver as questões restantes também será encontrado", escreveu o porta-voz em uma rede social.

    O movimento Talibã também alertou que "os problemas certamente se agravarão" se o acordo for violado e as tropas estrangeiras não deixarem o Afeganistão na data combinada.

    Na terça-feira (13), o governo dos EUA anunciou que o país completaria a retirada das tropas até 11 de setembro deste ano. De acordo com uma fonte, que falou com jornalistas em caráter de anonimato, essa retirada será realizada sem condições prévias.

    O Reino Unido, que conta com cerca de 750 soldados no Afeganistão, também retirará seu contingente militar do país após os EUA terem anunciado a remoção de seus soldados.

    O ex-presidente americano, Donald Trump, chegou a um acordo com o Talibã, no início do ano passado, no qual prometeu uma retirada de tropas em maio de 2021, em troca da promessa dos insurgentes de não apoiar a Al-Qaeda (grupo terrorista proibido nos EUA, na Rússia e em diversos outros países) ou outras organizações extremistas.

    Mais:

    Biden pondera que forças dos EUA permaneçam no Afeganistão 6 meses mais do que acordado, diz mídia
    Inteligência dos EUA adverte sobre o que aconteceria se forças americanas saíssem do Afeganistão
    Contenção de Rússia e China: para que serve presença dos EUA no Afeganistão?
    Tags:
    relações exteriores, crise, tropas, EUA, Afeganistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar