09:05 18 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    055
    Nos siga no

    O Japão enviou o destróier JS Suzutsuki e patrulha aérea para monitorar e coletar informação de embarcações chinesas no estreito de Miyako.

    No domingo (4), o porta-aviões chinês Liaoning e cinco outras embarcações atravessaram o importante corredor marítimo entre o Japão e o oceano Pacífico, informou o Ministério da Defesa japonês. O porta-aviões e seu grupo de ataque da China atravessaram o estreito de Miyako em direção ao Pacífico.

    No mesmo dia, Tóquio enviou o destróier JS Suzutsuki, uma aeronave de patrulha marítima P-1, e uma aeronave de guerra antissubmarino P-3C para a zona, com o objetivo de "coletar informação e monitorar os movimentos dos navios chineses", relata o South China Morning Post.

    Esta foi a primeira vez que o porta-aviões chinês Liaoning atravessou o estreito japonês desde abril do ano passado. A travessia poderia ser entendida como uma resposta aos exercícios militares conduzidos pelos EUA e aliados na região.

    Aeronave de guerra antissubmarino P-3C da Força Marítima de Autodefesa do Japão
    © AP Photo / Paul Kane
    Aeronave de guerra antissubmarino P-3C da Força Marítima de Autodefesa do Japão

    Porém, as tensões entre o Exército de Libertação Popular (ELP) da China e a Força Marítima de Autodefesa do Japão têm aumentado desde a aprovação de uma nova lei na China que confere maior autoridade à Guarda Costeira chinesa.

    Contudo, a administração Biden já teria reafirmado que os EUA estão comprometidos a defender a segurança do Japão, estando, na verdade, obrigados a fazê-lo se território japonês for atacado.

    Mais:

    Político filipino acusa China de tentar ocupar territórios disputados no mar do Sul da China
    'Solução pacífica': premier japonês pretende acalmar tensão China-Taiwan durante visita aos EUA
    Perturbando paz e estabilidade: Coreia do Norte denuncia desenvolvimento militar do Japão
    Tags:
    Japão, China, Estreito de Miyako, navios de guerra, tensão geopolítica
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar