08:52 18 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    449
    Nos siga no

    Os Estados Unidos e o Reino Unido impuseram novas sanções contra o governo militar de Mianmar nesta quinta-feira (25).

    As medidas foram impostas depois das notícias que as forças de segurança do governo teriam assassinado mais cinco manifestantes contrários aos militares.

    Em Washington, o Departamento do Tesouro dos EUA anunciou novas sanções contra a Myanma Economic Holdings Public Company Limited e a Myanmar Economic Corporation Limited.

    Ambas as empresas são controladas pelos militares de Mianmar e abrangem uma variedade de setores, da mineração ao turismo. Nenhum representante das empresas comentou as sanções até o momento.

    Pessoas fazem saudação com três dedos enquanto participam de um protesto noturno antigolpe na junção de Hledan em Yangon, Mianmar, em 14 de março de 2021.
    © REUTERS / Stringer
    Pessoas fazem saudação com três dedos enquanto participam de um protesto noturno antigolpe na junção de Hledan em Yangon, Mianmar, em 14 de março de 2021

    A ação de Washington congela todos os ativos mantidos pelas empresas nos Estados Unidos. Também proíbe empresas ou cidadãos dos EUA de negociar ou realizar transações financeiras com as duas organizações sancionadas.

    "Essas ações terão como alvo específico aqueles que lideraram o golpe, os interesses econômicos dos militares e os fluxos de financiamento que apoiam a repressão brutal dos militares mianmarenses. [...] Elas [as sanções] não são dirigidas ao povo de Mianmar", diz o comunicado publicado pelo Departamento de Tesouro dos EUA.

    Em uma ação coordenada com os Estados Unidos, o Reino Unido disse que teria como alvo a Myanmar Economic Corporation Limited, citando a associação da empresa com figuras militares de alto escalão e as graves violações dos direitos humanos contra civis no país. 

    O secretário de Relações Exteriores, Dominic Raab, disse que as sanções ajudariam a drenar as fontes de financiamento para as campanhas militares de repressão, segundo a Reuters.

    Freira ajoelhada pede à polícia para não machucar os manifestantes contra o golpe militar em Mianmar
    © AFP 2021 / Myitkyina News Journal
    Freira ajoelhada pede à polícia para não machucar os manifestantes contra o golpe militar em Mianmar

    Protestos em Mianmar

    Mianmar tem sido alvo de protestos quase diários desde que os militares derrubaram o governo eleito de Aung San Suu Kyi, em 1º de fevereiro, e instalaram um governo liderado por generais. Suu Kyi e outros membros da Liga Nacional para a Democracia estão detidos.

    Pelo menos 286 pessoas foram mortas pela repressão militar nas manifestações ocorridas no país, de acordo com números compilados pelo grupo ativista Associação de Assistência para Prisioneiros Políticos (AAPP).

    Mais:

    Dia mais sangrento de protestos contra golpe em Mianmar termina com ao menos 18 mortos (FOTOS)
    Coreia do Sul cancela apoio de defesa e proíbe exportação de armas para Mianmar em meio a protestos
    Crise em Mianmar: mortes em protestos após golpe chegam a 149, diz ONU
    A vida imita a arte: gesto de Jogos Vorazes é usado por manifestantes de Mianmar (FOTOS)
    Tags:
    Mianmar, militares, sanções, Estados Unidos, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar