10:06 26 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1711
    Nos siga no

    Governo filipino expressou crítica e preocupação após grande número de barcos chineses ter alegadamente atracado no recife de Whitsun, no mar do Sul da China.

    A ação se dá em uma área disputada tanto pela China quanto pelas Filipinas.

    As embarcações são barcos de pesca que as autoridades filipinas dizem ser tripulados por pessoal treinado por militares chineses.

    "Exortamos os chineses a cessarem tal incursão e a retirarem imediatamente seus barcos, que violam nossos direitos marítimos e invadem nosso território soberano", afirmou o secretário da Defesa Nacional das Filipinas, Delfin Lorenzana, em declaração.

    O recife de Whitsun, chamado de Julian Felipe pelas Filipinas, é uma região com formato de bumerangue composta por corais, a cerca de 324 km da província filipina de Palawan.

    De acordo com as Filipinas, as embarcações chinesas estariam pondo em risco o meio-ambiente devido à sua atividade pesqueira na região.

    O país afirma que cerca de 220 barcos da China estiveram envolvidos na ação.

    Manila afirmou que vai lutar pela soberania da área. Contudo, segundo a agência Deutsche Welle, o presidente filipino, Rodrigo Duterte, tem mantido boas relações com Pequim desde que assumiu seu cargo em 2016.

    Mesmo assim, Duterte já disse que "se eu mandar meus fuzileiros para afastarem os pescadores chineses, eu te garanto que nenhum deles voltará vivo para casa".

    Mais:

    'Ver onde pessoas não podem ver': militar chinês pede drones e robôs mais potentes para fronteiras
    'Comidos vivos': invasão de percevejos colocou em perigo capacidade de submarino dos EUA
    China aumenta importações de petróleo do Irã e Venezuela e desafia EUA, diz mídia norte-americana
    Tags:
    Filipinas, China, navios, barcos, invasão, Mar do Sul da China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar