18:13 25 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 41
    Nos siga no

    Após golpe de Estado e violenta ação de militares para cessar protestos populares, governo sul-coreano reconsidera ajuda ao país, mas garante abrigo a mianmarenses que estejam na Coreia do Sul.

    Nesta sexta-feira (12), o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Sul anunciou o cancelamento do intercâmbio de defesa com Mianmar e a proibição de exportações de armas para o país, segundo a Reuters.

    A justificativa é o momento político em que Naypyidaw se encontra após sofrer golpe de Estado e instalação de regime militar em 1º de fevereiro, assim como as contínuas ações violentas por parte do governo - incluindo a morte de mais de 54 manifestantes e 1.700 prisões arbitrárias - durante os protestos populares que vieram a seguir.

    "Apesar das repetidas demandas da comunidade internacional, incluindo a Coreia do Sul, há um número crescente de vítimas em Mianmar devido a atos violentos das autoridades militares e policiais", disse o ministério em um comunicado citado pela Reuters.

    O governo sul-corenano também limitará as exportações de outros itens estratégicos, vai reconsiderar a ajuda ao desenvolvimento do país e concederá isenções humanitárias a cidadãos de Mianmar em Seul até que a situação melhore, segundo a mídia.

    Ativistas realizaram mais comícios nesta sexta-feira (12), um dia após um grupo de direitos humanos relatar que os militares mataram 12 manifestantes que pediam o retorno à democracia no país, de acordo com a Reuters.

    Também nessa sexta-feira (12), monges budistas sul-coreanos e mianmarenses que vivem na Coreia do Sul se deitaram na estrada durante protesto pedindo a recuperação da democracia em Naypyidaw em frente à embaixada do país em Seul.

    Monges budistas sul-coreanos e mianmarenses protestam em frente à Embaixada de Mianmar em Seul, Coreia do Sul, 12 de março de 2021
    Lee Jin-man
    Monges budistas sul-coreanos e mianmarenses protestam em frente à Embaixada de Mianmar em Seul, Coreia do Sul, 12 de março de 2021

    O país do Sudeste Asiático está em crise desde que o Exército depôs o governo eleito de Aung San Suu Kyi em 1º de fevereiro, e a deteve junto com outros políticos do partido Liga Nacional para a Democracia.

    Monges budistas sul-coreanos e mianmarenses participam de protesto e entrevista coletiva pedindo a recuperação da democracia de Mianmar em frente à Embaixada de Mianmar em Seul, Coreia do Sul, 12 de março de 2021
    Lee Jin-man
    Monges budistas sul-coreanos e mianmarenses participam de protesto e entrevista coletiva pedindo a recuperação da democracia de Mianmar em frente à Embaixada de Mianmar em Seul, Coreia do Sul, 12 de março de 2021

    Mais:

    União Europeia planeja sancionar autores do golpe de Estado em Mianmar
    Relatórios dizem que 33 manifestantes foram mortos em Mianmar nesta quarta-feira (3)
    Dia mais sangrento de protestos contra golpe em Mianmar termina com ao menos 18 mortos (FOTOS)
    Tags:
    Coreia do Sul, Mianmar, golpe de Estado
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar