17:41 12 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    324
    Nos siga no

    O ministro das Relações Exteriores alemão, Heiko Maas, declarou nesta quinta-feira (4) que União Europeia pode impor sanções em um futuro próximo aos responsáveis ​​pelo golpe militar em Mianmar.

    Ele também observou que os chanceleres exigiram a libertação imediata de todos os presos políticos e a restauração das funções das instituições democráticas legítimas em Mianmar.

    "Os chanceleres da UE abriram caminho para a aprovação de sanções em um futuro próximo contra os militares que tomam decisões. São medidas que não afetarão a população que já sofreu o suficiente", declarou o ministro.

    Soldados de Mianmar circulam em torno do parlamento em Naypyidaw
    © REUTERS / Stringer
    Soldados de Mianmar circulam em torno do parlamento em Naypyidaw

    De acordo com o escritório do Alto Comissariado para os Direitos Humanos da ONU (ACNUDH), pelo menos 54 pessoas morreram e mais de 1.700 foram detidas em Mianmar desde que os militares deram um golpe de Estado no país em fevereiro.

    Em 1º de fevereiro, os militares tomaram o poder em Mianmar, expulsando a conselheira de Estado Aung San Suu Kyi, o presidente Win Myint e outros altos funcionários do governo, alegando uma suposta fraude nas eleições gerais do país. 

    O golpe de Estado desencadeou manifestações em massa em todo o país com confrontos violentos e mortes causadas pela repressão dos militares.

    Mais:

    Canadá impõe sanções contra 9 militares de Mianmar
    Relatórios dizem que 33 manifestantes foram mortos em Mianmar nesta quarta-feira (3)
    EUA aplicam sanções contra 2 indivíduos vinculados ao golpe militar de Mianmar
    Tags:
    democracia, golpe, União Europeia, golpe de Estado, Alemanha, Mianmar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar