12:09 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    4127
    Nos siga no

    A repressão da polícia aos protestos contra o governo militar em Mianmar deixou ao menos 18 mortos e 30 feridos em diversas cidades do país neste domingo (28).

    Segundo uma reportagem publicada pelo portal Myanmar Now, a polícia atirou contra os manifestantes após não conseguir dispersar as multidões com gás lacrimogêneo e bombas de efeito moral. O número de mortes deste sábado (28) foi o maior desde que o país foi tomado por protestos.

    Ravina Shamdasani, porta-voz do Escritório de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), disse em um comunicado que pelo menos 18 pessoas foram mortas.

    "As mortes ocorreram como resultado de munição letal disparada contra multidões em Yangon, Dawei, Mandalay, Myeik, Bago e Pokokku", disse o comunicado.

    Uma das vítimas deste domingo (28) é um homem que foi levado ao hospital depois de ter sido baleado no peito, de acordo com um médico que não quis se identificar, em Yangon, a maior cidade de Mianmar.

    Manifestante ferido é carregado durante protesto na cidade de Dawei, em Mianmar.
    © REUTERS / Dawei Watch
    Manifestante ferido é carregado durante protesto na cidade de Dawei, em Mianmar.

    Myo Thu, um dos professores que se juntou ao protesto, disse que as forças de segurança lançaram gás lacrimogêneo e munições letais enquanto os professores se preparavam para a marcha.

    "Estávamos em frente à secretaria de educação desde as 8h [horário local] e as pessoas ainda estavam se reunindo para começar a marchar", disse ele. "Ainda não tínhamos feito nada, mas eles simplesmente vieram até nós e fizeram a repressão".

    Em 1º de fevereiro, os militares deram um golpe de Estado, expulsando a conselheira de Estado Aung San Suu Kyi, o presidente Win Myint e outros altos funcionários do governo por causa de uma suposta fraude nas eleições gerais de 8 de novembro.

    Policiais militares atiram gás lacrimogêneo e bombas de borracha contra manifestantes na cidade de Yangon, em Mianmar.
    © REUTERS / Stringer
    Policiais militares atiram gás lacrimogêneo e bombas de borracha contra manifestantes na cidade de Yangon, em Mianmar.

    Eles declararam estado de emergência de um ano e prometeram realizar uma nova votação depois disso, enquanto colocavam os líderes depostos em prisão domiciliar.

    O golpe desencadeou protestos em massa em todo o país com confrontos violentos e mortes causadas pela repressão dos militares.

    Mais:

    Conselho de Direitos Humanos da ONU pede o fim do estado de emergência em Mianmar
    Rússia diz ser contra tentativas de 'fazer barulho' em torno da situação em Mianmar
    Mianmar: militares dizem que não tiveram outra opção a não ser tomar o poder
    Canadá impõe sanções contra 9 militares de Mianmar
    EUA aplicam sanções contra 2 indivíduos vinculados ao golpe militar de Mianmar
    Tags:
    feridos, mortes, manifestantes, manifestação, protestos violentos, protestos, protesto, Exército de Mianmar, Mianmar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar