08:41 18 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0916
    Nos siga no

    O porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, John Kirby, pediu desculpa por seu "erro" em recentes declarações relativas à disputa pelas ilhas Senkaku entre a China e o Japão.

    Na terça-feira (23), Kirby teria afirmado, em uma conferência de imprensa às portas fechadas: "Concordamos com a comunidade internacional a respeito das [ilhas] Senkaku e de sua soberania, e obviamente apoiamos o Japão nessa soberania", citado pelo The Japan Times.

    O porta-voz do Pentágono estaria respondendo a questões sobre a situação atual nas águas das ilhas disputadas, uma vez que a Guarda Costeira da China já se encontra seguindo a controversa lei de segurança costeira, que permite aos guardas chineses a utilização de armas contra embarcações estrangeiras que atravessem as águas que a China considera suas.

    Grupo de ilhas disputadas no mar do Sul da China: Uotsuri, Minamikojima e Kitakojima denominados Senkaku no Japão e Diaoyu na China (foto de arquivo)
    © REUTERS / Kyodo
    Grupo de ilhas disputadas no mar do Sul da China: Uotsuri, Minamikojima e Kitakojima denominados Senkaku no Japão e Diaoyu na China (foto de arquivo)

    Embora os comentários de Kirby parecessem apoiar a soberania do Japão sobre as ilhas, outros se seguiram.

    Apercebendo-se do significado de sua declaração, Kirby garantiu que "não há mudança na política dos EUA relativamente à soberania das ilhas", se referindo aparentemente à suposta neutralidade dos EUA relativamente à disputa territorial entre o seu aliado e o gigante asiático. "Eu me arrependo do meu erro", acrescentou, citado pela mídia japonesa.

    Por fim, John Kirby reiterou que "os EUA se opõem a qualquer ação unilateral que pretenda mudar o status quo", refere o The Japan Times.

    Porém, não obstante o "erro", Kirby disse na sexta-feira (26) que o presidente americano Joe Biden e outros oficiais de sua administração permanecem comprometidos em apoiar o Japão em sua defesa sob o artigo 5º de seu tratado bilateral de segurança, que também inclui as ilhas Senkaku.

    Mais:

    China pode implantar caça de 6ª geração antes dos EUA, afirma oficial americano
    Casa 'bagunçada': ex-diplomata revela o que falta para EUA terem sucesso em confronto com China
    Peixes radioativos são pescados em Fukushima, no Japão
    Tags:
    EUA, Japão, China, Ilhas Senkaku, aliança, Segurança
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar