23:45 27 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1230
    Nos siga no

    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o primeiro-ministro da Armênia, Nikol Pashinyan, discutiram hoje (25) a situação no país do Cáucaso em uma conversa telefônica, em meio aos protestos em Erevan.

    Segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, "a situação na Armênia foi discutida [...] Putin se posicionou em favor da manutenção da ordem e da tranquilidade na Armênia e defendeu uma solução para a situação dentro da estrutura da lei".

    Peskov acrescentou que a conversa foi realizada por iniciativa da Armênia e que o presidente russo também pediu contenção a todas as partes no conflito.

    Mais cedo, a União Europeia (UE) também pediu calma e contenção na Armênia em meio às manifestações de partidários e opositores do primeiro-ministro, que saíram às ruas nesta quinta-feira (25) para apoiá-lo ou exigir sua renúncia, respectivamente.

    Policiais usam máscaras protetoras durante uma manifestação exigindo a renúncia do primeiro-ministro Nikol Pashinyan, na Praça da República, em Erevan, Armênia
    © Sputnik / Asatur Esayants
    Policiais usam máscaras protetoras durante uma manifestação exigindo a renúncia do primeiro-ministro Nikol Pashinyan, na Praça da República, em Erevan, Armênia

    O próprio Pashinyan, que inicialmente convocou seus apoiadores a organizarem ações de protesto, pediu depois que as forças políticas realizassem consultas, enquanto a oposição, que se reuniu perto do Parlamento e anunciou protestos por tempo indeterminado, se recusa a negociar com as autoridades e exige nada mais que a renúncia do primeiro-ministro.

    Os opositores saíram às ruas após Pashinyan demitir hoje (25) o chefe do Estado-Maior, Onik Gasparyan, depois que o militar havia exigido a sua renúncia. O premiê, por sua vez, descreveu a atitude de Gasparyan como "tentativa de golpe".

    Ontem (24), o chefe de governo armênio demitiu o segundo na cadeia de comando do Exército, o general Tiran Khachatryan, o que causou desconforto nas Forças Armadas.

    Erevan tem sido palco de protestos desde novembro do ano passado. Os manifestantes pedem a remoção do primeiro-ministro por assinar um acordo de cessar-fogo com o Azerbaijão, que pôs fim às hostilidades na região de Nagorno-Karabakh.

    Mais:

    Armênia vai se beneficiar de acordo de paz em Nagorno-Karabakh, diz Erdogan
    Cerca de 60 manifestantes são detidos em protestos antigovernamentais na Armênia (VÍDEO)
    Pashinyan apela que chefe do Estado-Maior da Armênia renuncie voluntariamente
    Tags:
    Armênia, Rússia, Vladimir Putin, Nikol Pashinyan, protestos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar