10:53 11 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    334
    Nos siga no

    Japão e EUA se encontram em parceria militar cada vez mais sólida e enviam uma mensagem importante para adversários em potencial, afirmam analistas.

    Desde de 2019, uma notável parceria entre as Forças Armadas dos EUA e do Japão vem acontecendo. Além do crescente número de exercícios conjuntos, progressivamente, Tóquio se apresenta como defensor dos EUA, protegendo aeronaves norte-americanas durante atividades militares no oceano Pacífico, de acordo com relatório da CNN.

    Em 2020, as Forças de Autodefesa do Japão (SDF, na sigla em inglês) anunciaram a realização de 25 missões conjuntas entre os dois países, contra 14 realizadas em 2019. Em quatro casos das 25 missões, a intenção foi proteger navios da Marinha dos EUA enquanto coletavam informações sobre mísseis balísticos ou efetuavam outras atividades de vigilância.

    Em 21 casos, as missões envolveram a proteção de aeronaves norte-americanas que estavam em treinamento conjunto com suas contrapartes japonesas. O Japão não informou quando as missões aconteceram, apenas que "contribuíram para a defesa do Japão", segundo a mídia.

    B-1B da Força Aérea dos EUA e F-16 do Japão, conduzindo treinamento bilateral combinado na costa do norte do Japão, 22 de abril de 2020
    © Foto / Domínio Público / Força Aérea dos EUA/ Sargento Timothy Moore
    B-1B da Força Aérea dos EUA e F-16 do Japão, conduzindo treinamento bilateral combinado na costa do norte do Japão, 22 de abril de 2020

    Analistas de defesa afirmam que se uma potência hostil ameaçar as Forças Armadas dos EUA em qualquer uma de suas missões de proteção de ativos, as Forças japonesas podem contra-atacar.

    "Se os ativos norte-americanos fossem repentinamente atacados, a SDF deveria contra-atacar para evitar ataques posteriores a navios ou aviões norte-americanos", disse Corey Wallace, professor assistente da Universidade de Kanagawa, no Japão, citado pela mídia.

    Para o especialista em segurança japonês Narushige Michishita, o anúncio da SDF indica a importância elevada das relações de segurança entre os dois países em um momento de crescentes ameaças na região, e envia uma mensagem importante adversários em potencial.

    "A questão é que duas forças estão agora operando regularmente muito próximas, e serão capazes de fazer o mesmo em tempo de guerra ou sob condições estressantes. A capacidade de fazer isso certamente aumentará a dissuasão de possíveis ações agressivas contra o Japão e a Coreia do Sul, e até mesmo Taiwan", disse Michishita citado pela mídia.

    Outro motivo para a solidez da parceria seria o surgimento de ameaças contra o Japão, incluindo o programa de mísseis balísticos da Coreia do Norte e as tensões em curso com a China nas ilhas Senkaku e Diaoyu, segundo a mídia.

    Mais:

    Japão reporta mais de 100 feridos após terremoto de magnitude 7,3
    Ministro da Defesa do Japão nega alegações sobre acordo secreto com militares dos EUA
    Japão aprova vacina da Pfizer faltando 5 meses para os Jogos Olímpicos
    Tags:
    jatos, exercício, EUA, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar