22:02 18 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    72313
    Nos siga no

    Porta-voz das Forças Armadas de Mianmar diz que objetivo da junta militar é realizar eleições e entregar o poder político ao partido vencedor.

    Ainda segundo o porta-voz, o general de brigada Zaw Min Tun, os protestos em andamento no país contra os militares estão incitando à violência e fazendo pressão ilegal sobre os servidores públicos civis.

    Ao mesmo tempo, o representante militar afirmou que as Forças Armadas do país garantem a realização de eleições. Apesar da promessa de eleições, o general não anunciou nenhuma data para o sufrágio. 

    "Nosso objetivo é realizar uma eleição e passar o poder para o partido vencedor", disse Min Tun.

    O general também disse que os militares do país "não tiveram nenhum outra opção" a não ser a tomada do poder.

    Neste momento, está em vigor no país um estado de emergência com duração de um ano.

    Enquanto isso, os militares afirmam que continuarão o caminho do acordo de "cessar-fogo nacional".

    Militares no poder

    No último dia 1° de fevereiro, os militares de Mianmar declararam o estado de emergência no país após a prisão de líderes políticos, incluindo o presidente Win Myint e a líder Aung San Suu Kyi.

    A ação desencadeou protestos contra a classe militar tanto no país, quanto no exterior. De acordo com os militares, nas recentes eleições no país foram registradas fraudes.

    Por sua vez, os EUA anunciaram nesta quarta-feira (10) sanções contra a liderança militar.

    Mais:

    Rússia diz ser contra tentativas de 'fazer barulho' em torno da situação em Mianmar
    General que governa Mianmar ordena manifestantes a voltarem ao trabalho
    Assessor de Suu Kyi é detido em nova onda de prisões em Mianmar
    Tags:
    governo, golpe militar, golpe, Mianmar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar