22:48 25 Fevereiro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    A televisão estatal de Mianmar relatou ferimentos a policiais durante tentativas de dispersar manifestantes, que o órgão considerou serem "agressivos", no primeiro reconhecimento das manifestações ocorrendo no país.

    A MRTV, em seu noticiário noturno, informou que um caminhão da polícia foi destruído em uma manifestação em Mandalay, onde mostrou imagens das consequências, incluindo policiais feridos que, segundo ela, agiram dentro da lei.

    Manifestantes durante protesto contra o golpe de Estado realizado em Mianmar, na Universidade de Medicina de Mandalay, Mandalay, Mianmar, 4 de fevereiro de 2021
    © REUTERS / Stringer
    Manifestantes durante protesto contra o golpe de Estado realizado em Mianmar, na Universidade de Medicina de Mandalay, Mandalay, Mianmar, 4 de fevereiro de 2021

    O canal descreveu os protestos como sendo orquestrados por pessoas que queriam prejudicar a estabilidade do país, mas não fez nenhuma menção ao golpe da semana passada ou outras manifestações que ocorreram em todo o país.

    Na segunda-feira (8), o governo de Joe Biden disse estar considerando tomar possíveis ações contra os militares de Mianmar, após o golpe realizado no país. A informação foi divulgada pela secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, durante uma coletiva de imprensa.

    O Exército de Mianmar assumiu o poder do país em 1º de fevereiro e declarou estado de emergência. O presidente, Win Myint, e a líder do partido governista e vencedora do Nobel da Paz em 1991, Aung San Suu Kyi, foram presos pelos militares em seguida.

    Mais:

    Milhares vão às ruas de Mianmar em protesto contra o golpe militar no país (FOTOS, VÍDEOS)
    Reino Unido e UE querem sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU para debater crise em Mianmar
    EUA cogitam tomar medidas contra golpe militar de Mianmar, diz Casa Branca
    Tags:
    polícia, golpe militar, militar, golpe de Estado, crise, Mianmar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar