21:03 20 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    291
    Nos siga no

    O relatório anual para o comitê de sanções do Conselho de Segurança da ONU é revelado poucas semanas depois que o democrata Joe Biden assumiu o cargo de presidente dos EUA.

    A Coreia do Norte manteve e desenvolveu seus programas de mísseis nucleares e balísticos ao longo de 2020, violando, dessa forma, as sanções internacionais. De acordo com um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), parte do financiamento, cerca de US$ 300 milhões (aproximadamente R$ 1,6 bilhão), veio de dinheiro roubado por meio de ataques cibernéticos.

    O relatório de monitores de sanções independentes disse que Pyongyang "produziu material físsil, manteve instalações nucleares e atualizou sua infraestrutura de mísseis balísticos", enquanto continuava a buscar material e tecnologia para esses programas no exterior, reporta a agência Reuters, que teve acesso ao documento.

    No ano passado, a Coreia do Norte exibiu novos sistemas de mísseis balísticos intercontinentais e de curto e médio alcance lançados por submarinos em desfiles militares, relembra o relatório.

    Imagem feita a partir de um vídeo transmitido pela Televisão da Coreia do Norte que mostra desfile militar com um possível novo míssil balístico intercontinental na Praça Kim Il Sung em Pyongyang, em 10 de outubro de 2020
    © AP Photo / KRT via AP
    Imagem feita a partir de um vídeo transmitido pela Televisão da Coreia do Norte que mostra desfile militar com um possível novo míssil balístico intercontinental na Praça Kim Il Sung em Pyongyang, em 10 de outubro de 2020

    O documento da ONU afirma que um estado-membro não identificado avaliou que, a julgar pelo tamanho dos mísseis da Coreia do Norte, "é altamente provável que um dispositivo nuclear" possa ser montado em mísseis balísticos de longo, médio e curto alcance.

    "O estado-membro, no entanto, disse que é incerto se a RPDC [República Popular Democrática da Coreia] desenvolveu mísseis balísticos resistentes ao calor gerado durante a reentrada" na atmosfera, aponta o relatório.

    Embora não tenha ocorrido testes nucleares ou de mísseis balísticos em 2020, Pyongyang "anunciou a preparação para o teste e a produção de novas ogivas de mísseis balísticos e o desenvolvimento de armas nucleares táticas", descreve o documento.

    O relatório acusa o regime liderado por Kim Jong Un de conduzir "operações contra instituições financeiras e casas de câmbio virtuais" para pagar por armas e manter a economia do país no azul. Outro país não identificado, mas que é membro da ONU, afirma que hackers roubaram ativos virtuais no valor de US$ 316,4 milhões (aproximadamente R$ 1,7 bilhão) entre 2019 e novembro de 2020.

    O relatório anual para o comitê de sanções do Conselho de Segurança da ONU para a Coreia do Norte chega poucas semanas depois que Joe Biden assumiu o cargo de presidente dos EUA.

    Um porta-voz do Departamento de Estado norte-americano afirmou na segunda-feira (8) que a administração Biden planeja uma nova abordagem para a Coreia do Norte, incluindo uma revisão completa com os aliados "sobre as opções de pressão em curso e o potencial para qualquer diplomacia futura".

    Mais:

    Embaixador em exercício da Coreia do Norte no Kuwait desertou para Coreia do Sul, revela legislador
    Relação entre Coreia do Norte e EUA pode 'mudar significativamente', diz analista
    Estaria Coreia do Norte botando medo em todo mundo com novidades bélicas sem serventia?
    Coreia do Norte conclui pesquisas e prepara produção em massa de mini drones de reconhecimento
    Tags:
    ogiva nuclear, arma nuclear, EUA, Conselho de Segurança da ONU, ONU, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar