04:08 04 Março 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    121
    Nos siga no

    No início desta semana, os militares tomaram o poder no país, prendendo membros do governo e acusando o gabinete de fraude eleitoral.

    Sean Turnell, um assessor econômico australiano da dirigente deposta do governo de Mianmar, Aung San Suu Kyi, confirmou que "estava sendo detido", na madrugada deste sábado (6), dias após o golpe militar no país.

    "Acho que em breve vocês saberão, mas estou sendo detido", disse ele. "Estou sendo acusado de algo, mas não tenho certeza do quê. Estou bem e forte e não sou culpado de nada".

    A detenção do conselheiro ocorre em meio a uma série de prisões no país, depois que os militares declararam estado de emergência por um ano, acusando a ex-dirigente Suu Kyi e seu gabinete de fraude nas eleições de novembro de 2020.

    Suu Kyi foi acusada de violar as leis de importação por supostamente ter contrabandeado walkie-talkies.

    Manifestantes durante protesto contra o golpe de Estado realizado em Mianmar, na Universidade de Medicina de Mandalay, Mandalay, Mianmar, 4 de fevereiro de 2021
    © REUTERS / Stringer
    Manifestantes durante protesto contra o golpe de Estado realizado em Mianmar, na Universidade de Medicina de Mandalay, Mandalay, Mianmar, 4 de fevereiro de 2021

    De acordo com estimativas, pelo menos 130 oficiais foram detidos pelas Forças Armadas do país até agora. Em resposta, a maior cidade do país asiático, Yangon, e a capital Naypyidaw foram palcos de protestos nesta semana.

    Mais:

    Conselho de Segurança da ONU expressa 'profunda preocupação' após golpe em Mianmar
    Biden exige que militares de Mianmar 'renunciem ao poder'
    Presidente de Mianmar é transferido para lugar desconhecido
    Tags:
    prisão, protestos, Ásia, militares, golpe militar, Aung San Suu Kyi, Mianmar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar