01:18 07 Março 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Mundo vs. COVID-19 no final de janeiro de 2021 (110)
    0 40
    Nos siga no

    Uma equipe de profissionais da Organização Mundial da Saúde (OMS) fez uma visita nesta sexta-feira (29) ao hospital onde a China diz que os primeiros pacientes com COVID-19 foram tratados, há mais de um ano.

    A visita é parte de uma missão de investigação sobre as origens do coronavírus. Membros da OMS e autoridades chinesas tiveram suas primeiras reuniões presenciais em um hotel antes das visitas.

    Até esta quinta-feira (28), os pesquisadores visitantes cumpriram quarentena por 14 dias, iniciada assim que chegaram à China.

    Primeiro encontro cara a cara com nossos colegas. Correção: máscara a máscara diante das restrições médicas. Discutindo nosso programa de visitas. O líder de equipe da China, professor Wannian, fez brincadeiras sobre algumas falhas técnicas. É bom ver nossos colegas após longas reuniões pelo Zoom.

    Membros da equipe deixaram o hotel de carro e, pouco tempo depois, entraram nos portões do Hospital Provincial de Medicina Integrada Chinesa e Ocidental de Hubei, conforme noticiou a AP. Foi neste hospital que os primeiros casos da até então "pneumonia de origem desconhecida" foram registrados, em 27 de dezembro de 2019.

    Os especialistas planejam visitar também locais como o mercado de mariscos de Huanan, que foi apontado como um dos primeiros locais de disseminação do novo coronavírus, além do Instituto de Virologia de Wuhan e do Centro de Controle de Doenças de Wuhan.

    Mercado de frutos do mar de Wuhan, China, onde várias pessoas foram infectadas pelo SARS-CoV-2, fechado em 21 de janeiro de 2020
    © AP Photo / Dake Kang
    Mercado de frutos do mar de Wuhan, China, fechado

    A missão da equipe da OMS tornou-se politicamente carregada. Acusada por diversos países de ter escondido a existência do novo coronavírus, a China tenta se defender de supostos erros em sua resposta inicial ao surto.

    "Todas as hipóteses estão sobre a mesa enquanto a equipe segue a ciência em seu trabalho para entender as origens do vírus da COVID-19" disse, em tweet, a OMS.

    A confirmação da origem de um vírus pode levar anos, uma vez que exige uma pesquisa aprofundada, que inclui amostras de animais, análises genéticas e estudos epidemiológicos.

    Uma possibilidade é que um caçador de animais selvagens tenha passado o vírus para comerciantes, que por sua vez o levaram para Wuhan. O governo chinês promoveu teorias, com poucas evidências, de que o surto pode ter começado com a importação de frutos do mar congelados contaminados com o vírus. Esta noção é rejeitada por cientistas e agências internacionais.

    Tema:
    Mundo vs. COVID-19 no final de janeiro de 2021 (110)

    Mais:

    EUA dizem ter 'conjunto crescente de evidências' de que COVID-19 se originou em laboratório de Wuhan
    Poderia Pequim se tornar '2ª Wuhan' devido a novo surto da COVID-19?
    OMS pede distribuição justa da vacina contra COVID-19 entre todos os países
    China pede revisão de relatórios da OMS que indicam seu atraso na resposta inicial à COVID-19
    Tags:
    novo coronavírus, pandemia, COVID-19, Wuhan, Organização Mundial da Saúde, OMS, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar